Processo

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

De acordo com o PMBok 5ª ed., o escopo é a soma dos produtos, serviços e resultados a serem fornecidos na forma de projeto. Sendo ele referindo-se a:

  • Escopo do projeto – O trabalho que deve ser realizado para entregar um produto, serviço ou resultado com as funcionalidades e funções especificadas. As vezes, este termo é visto como incluindo o escopo do produto; e
  • Escopo do produto – As características e funções que caracterizam um produto, serviço ou resultado.

Esta etapa do gerenciamento está relacionada principalmente com a definição e controle do que está e do que não está incluso no projeto, pois pretende-se entregar exatamente o que foi solicitado no projeto.

Existem dois termos que devem ser conhecidos que são práticas inaceitáveis e que podem levar ao fracasso do projeto:

  • Scope Creep – É o aumento descontrolado do produto do projeto sem ajustes de tempo, custos e recursos. Normalmente ocorre quando uma mudança é feita sem controle algum, partindo do cliente diretamente para a equipe do projeto;
  • Gold Plating – Refere-se dar ao cliente mais do que o necessário, ou seja, o que foi especificado e aprovado. Normalmente esse tipo de situação parte do gerente de projeto ou da equipe.

Devemos lembrar que o escopo é uma das restrições conflitantes do projeto, assim como, mas não limitando-se à:

  • Escopo;
  • Qualidade;
  • Cronograma;
  • Orçamento;
  • Recursos; e
  • Riscos.

Neste capítulo, temos os seguintes processos:

Processos do Gerenciamento do Escopo do Projeto

Processos do Gerenciamento do Escopo do Projeto

(mais…)

Processo de gerenciamento da continuidade do serviço de TI

Pergunta: O que é um desastre?

Pode parecer estranho começar a abordagem sobre gerenciamento da continuidade com esta pergunta. Mas a falta de conscientização de muitos gestores pode fazer com que a palavra desastre traga uma enorme dor de cabeça.

Segundo o OGC (2006, p. 155), desastre é “um acontecimento que afeta de tal forma um serviço ou sistema que a restauração do seu nível de desempenho original exige considerável esforço”. (mais…)

Processo de gerenciamento de capacidade

O fornecimento da capacidade exigida para processamento e armazenamento de dados é tarefa do gerenciamento de capacidade. Isso é feito para que o provimento desta capacidade não venha de uma definição tomada às pressas, sem planejamento, fazendo com que seja compensador quanto ao custo.

Quando se leva em consideração que muitos data centers, com elevado número de servidores, operam, por exemplo, com 20% ou menos da capacidade, pode-se afirmar que muito dinheiro está sendo desperdiçado na provisão de serviço. (mais…)

Processo de gerenciamento de fornecedor

O foco do gerenciamento de fornecedor, como o próprio nome já sugere, é fazer o gerenciamento dos fornecedores juntamente com os serviços que eles fornecem. Isso assegura com que seja oferecida qualidade de serviços de TI ao negócio.

Temos como objetivos desse processo:

a. valorizar a partir de fornecedores e contratos, ao dinheiro;

b. ter convicção de que os acordos e contratos estão alinhados às necessidades do negócio; (mais…)

Processo de gerenciamento de segurança da informação

O gerenciamento da segurança é um processo muito importante que traz o benefício do controle na oferta de informações, impedindo o seu uso não autorizado. Porém, durante um bom tempo, esse processo foi ignorado e as empresas não se preocuparam (ou ainda não dão a atenção devida que este processo merece) com a segurança da informação.

À medida que os sistemas vão crescendo, o interesse sobre este assunto cresce ainda mais, principalmente quando o foco é internet e comércio eletrônico. Com a expansão de seus negócios através da internet, as empresas tendem a estar suscetíveis a riscos de intrusão. (mais…)

Processo gerenciamento financeiro

As áreas de TI começam a dirigir as suas atividades sob a orientação do negócio. Desta mesma forma, o gerenciamento dos ativos de TI precisa estar alinhado a este enfoque. É preciso existir uma aderência dos investimentos e custos de TI com o valor que podem agregar ao negócio.

Segundo Magalhães e Pinheiro (2008), a partir deste enfoque o sucesso das atividades de uma área de TI passa a ser avaliado pela contribuição que os gastos e investimentos realizados podem oferecer a uma organização. Este alinhamento significa desenvolver habilidade para levar a efeito estudos de viabilidade e práticas de gerenciamento de custos. (mais…)

Conceitos básicos sobre a estratégia de serviços

O valor de um serviço de TI não é apenas discernível nos resultados dos negócios, mas é também dependente da percepção do cliente. Isto se refere à diferença entre o valor econômico e a percepção econômica. A percepção depende da autoimagem do cliente, dos atributos de valor e de sua experiência pessoal.

É importante lembrar que a definição e a diferenciação do valor estão principalmente na cabeça do cliente. O valor econômico não deve corresponder, necessária e automaticamente, às percepções econômicas do cliente (BON, 2008). (mais…)

Serviços e processos

De modo geral, a área de TI tem contribuído com as organizações não somente na automação de seus processos, mas também na própria redefinição de como esses processos são realizados.

A atividade de modelar (e remodelar) processos vem sendo desenvolvida com frequência, com significativa participação dos profissionais de TI, pois, ao implantar novos sistemas, é necessário também criar novos processos e/ou transformar processos antigos de trabalho em novas formas de trabalhar.

Porém, a própria área de TI, por muito tempo, não trabalhou seus próprios processos internos de trabalho. Algo que lembra o ditado da “casa de ferreiro e espeto de pau”. Paradoxal, não é mesmo?! (mais…)

Métricas de processo e projeto de software

Métrica é um conjunto de medidas. Medição existe em qualquer processo de construção de qualquer coisa. A medição é realizada não apenas na Engenharia de Software. É fundamental para qualquer atividade, principalmente de engenharia. Seu propósito é avaliar alguma coisa. A partir dela, podemos ter o entendimento da eficácia de algumas situações, como do processo de software.

Por exemplo, para avaliar se o processo pelo qual uma empresa produz software é bom ou ruim, como se faz? O CMM é um modelo para avaliar a qualidade do processo. Ele se baseia em medidas como tempo, número de erros, de linhas de código, de manutenções, etc., para saber se o processo está funcionando bem. Não é possível avaliar algo sem alguma medição. (mais…)

Mapa Mental de Direito Processual Penal – Inquérito Policial

Mapa Mental de Direito Processual Penal – Inquérito Policial

(mais…)