TI

TI se sente despreparada para negócios digitais, indica Gartner

Apenas 41% dos profissionais de Tecnologia da Informação acreditam que os departamentos onde atuam estão prontos para os negócios digitais nos próximos dois anos. O resultado estampa uma pesquisa do Gartner, que consultou 948 pessoas, em 30 países, no primeiro trimestre de 2016.

O levantamento indica que prioridades de investimento, alterações de infraestrutura, habilidades de desenvolvimento e interações de negócios com TI estão em fluxo e que os trabalhadores responsáveis pela informática não têm certeza sobre como seus departamentos passarão pela transformação digital.

Para alguns entrevistados, as mudanças estão chegando muito rápido, enquanto que para outros, isso não está acontecendo. “Os profissionais sabem que é preciso mudar, pensar e agir de forma diferente, mas têm dificuldade em se adaptarem ao novo cenário”, observa a consultoria.

De acordo com o Gartner, a maioria dos setores de tecnologia está despreparada para as mudanças dos novos negócios digitais: 91% dos profissionais de TI entrevistados estão certos de que eles têm uma função a desempenhar na transformação digital de suas empresas. (mais…)

Dez coisas que você deveria saber sobre TI bimodal

Gartner estima que 75% das empresas terão uma abordagem bimodal até 2017. O que os CIOs devem considerar na hora de implantar essa postura?

A agilidade do mundo dos negócios pede que as empresas imprimam dois perfis distintos para as iniciativas baseadas em tecnologia da informação. De um lado está a sustentação das rotinas de operação; de outro, a necessidade de gerar inovações que impulsionem negócios. São frentes que, em muitos casos, andam em velocidades diferentes.

Cabe aos líderes do departamento de TI desenharem a estratégia e assegurarem que tal abordagem aconteça da maneira mais assertiva possível. O tema, contudo, ainda é bastante recente. Muito devido ao fato de ser novidade (questão que soma-se a urgência de transformar modelos em organismos cada vez mais digitais) ainda há muitas dúvidas e reticências sobre como implantar o conceito.

Para sanar alguns questionamentos e colocar luz sobre pontos que podem ser explorados na construção de uma abordagem bimodal, apresentamos dez coisas que consideremos importante que todo gestor saiba nesse momento. Confira. (mais…)

Dez profissionais de TI mais demandados em 2014

O ritmo de criação de novos empregos em tecnologia não crescer de forma tão acelerada quanto nos últimos anos. Apenas 24% dos 194 executivos de TI participantes de uma pesquisa realizada pela Computerworld nos Estados Unidos afirmaram que suas organizações planejam ampliar os quadros de TI.

De maneira geral, o resultado indica uma busca por profissionais com conhecimento técnico capazes de suportar estruturas computacionais próprias, ainda em crescimento.

Listamos, a seguir, os dez perfis mais procurados por esses executivos.  (mais…)

Como defender o valor de um projeto de TI?

Você deve estar pensando: conceber meios de demonstrar o valor da tecnologia corporativa tem ocupado os CIOs há 25 anos, desde que a profissão existe. Bom, embora métricas como taxa de retorno interno e valor econômico agregado sejam aplicadas com sucesso variado, ROI e TCO continuam sendo baluartes na hora de ajudar os líderes empresariais a decidirem se querem ou não um investimento de tecnologia que vale a pena ser feito.

Um cálculo de ROI quantifica os custos e os benefícios esperados de um projeto específicos em um prazo determinado, em geral três a cinco anos. O TCO, por sua vez, inclui apenas custos. Quando você pensa em TCO, não vê TI como um motor do negócio ou um ativo que pode aumentar o faturamento, o lucro ou o valor para o cliente.

As decisões de TI devem ser menos em torno da tecnologia e mais da capacidade de negócio que a tecnologia torna possível. Portanto, as propostas de TI devem ser mensuradas como outras ideias de negócio, por seu potencial de proporcionar velocidade, eficiência e inovação. O ROI proporciona uma maneira sólida de representar estas ideias.

Mas muitas organizações de TI acham difícil prever com precisão o ROI de um projeto e depois não conseguem atingir os benefícios esperados quando o projeto é concluído. Às vezes, isso acontece porque os problemas inesperados surgem. 
(mais…)

Sete fatores críticos para o sucesso da TI

Cada vez mais, as atividades econômicas dependem da tecnológia. Mas a maior parte das organizações ainda falha ao tentar tirar vantagens das diversas oportunidades que podem ser fornecidas pela área de TI, em especial, no que diz respeito a melhorar processos e aumentar as margens de lucro.

Claramente, existe um espaço entre a infraestrutura disponível e o que a empresa necessita fazer para transformá-la em algo que traça benefícios reais aos negócios. (mais…)

Confira 7 dicas para estimular talentos do time de TI

Todo mundo sabe que o segredo para o sucesso dos negócios é contratar um grande talento. Mas alguns dos colaboradores mais talentosos ao redor já podem estar trabalhando para você – e você sequer sabe disso.

“O tempo gasto na identificação de talentos dentro das empresas não é o suficiente, muito menos a preparação desses talentos para cargos de nível sênior”, diz Iman Jalali, presidente da TrainSignal, uma plataforma online de formação em TI. “Olhar para dentro não é apenas saudável para o moral da tropa, mas é bom para os negócios também. Não raro você vai identificar talentos que precisam ser orientados, treinados e preparados para futuras posições de chefia.”

Como fazer isso? Pedimos para CTOs, CEOs e profissionais de RH para contar como eles descobrem os tesouros escondidos dentro de suas organizações e como você pode fazer isso também.

Alguns de seus segredos? Promover hackathons para identificar os geeks no armário ou estabelecer projetos extra curriculares para os funcionários que querem mostrar as suas habilidades. Algumas técnicas são tão simples como a criação de uma caixa de sugestões ou agendamento de um tempo regular para falar de  tecnologia com seus empregados. Outros envolvem empurrar  os funcionários de melhor desempenho fora de suas zonas de conforto ou alistá-los na busca por talentos. Finalmente, você também precisa saber quando cortar o cabresto e deixar seus funcionários mais talentosos avançarem para tarefas melhores. Fazer da carreira de seus funcionários uma prioridade para sua organização ajuda a garantir a lealdade e obter o melhor do seu melhor.

Dica nº 1: Hackathons
Se há um esconderijo na sua organização para talentos de programação, nada melhor para tirá-los de lá, trazê-los para fora, que um hackathon. HireVue, criadora de uma plataforma que permite às empresas enviar perguntas de entrevista para os candidatos e registrar suas respostas via web cam, promove “hackweek” regulares para revelar novos talentos e ideias, conta seu CEO, Mark Newman.

“Nós pedimos a eles: ‘Qual é a coisa mais irritante que você sempre quis corrigir? Se você não tivesse mais nada para fazer o dia todo,qual seria a coisa muito legal que você gostaria de construir?'”, Diz ele. “Recentemente, pedi a uma equipe de 20 pessoas que respondessem a estas perguntas no prazo de uma semana. O resultado foram cinco produtos testáveis ??para olhar. Foi incrível.”

Para Robert LeCount, diretor de TI da empresa de educação financeira The Rich Dad Co., as melhores ideias de tecnologia nem sempre vêm de profissionais de TI. No inverno passado, Rich Dad dividiu sua equipe de 22 funcionários em seis equipes interdepartamentais. A missão de cada uma delas: aplicar novos conceitos de marketing para a empresa, usando vídeos e também os materiais tradicionais.

“Isso empurrou a todos para fora de suas zonas de conforto e nos permitiu avaliar onde as pessoas trabalham bem – quem é mais criativo, quem é melhor com a tecnologia, e quem é mais processo-driven”, diz LeCount. “Foi engraçado ver nosso pessoal de TI aprendendo a usar FinalCut e nossos contadores usando o InDesign e o Illustrator. Percebemos que nossos auditores têm grandes habilidades criativas. No final, a equipe vencedora veio com algo que estamos usando agora como uma campanha de marketing.”

“Para desenvolver tecnologia nova e transformadora, os funcionários precisam de alguma licença criativa. Deixar os funcionários experimentarem novas formas de fazer o trabalho diário é uma ótima maneira de descobrir talentos escondidos”, diz Joel Bomgar, CEO da Bomgar. “Mas se todos não estiverem focados no trabalho, e apenas no jogo em si, você pode acabar com um monte de” ferramentas legais “que não acrescentam nada ao negócio”, alerta.

Dica nº 2: Criar projetos piloto
Se os seus funcionários não têm perfil geek para mergulhar em um hackathon, existem muitas outras maneiras de identificar talentos escondidos. Uma é a criação de projetos especiais não essenciais realizados por voluntários, diz Umesh Ramakrishnan, vice-presidente da empresa de busca de executivos CTPartners.

“Anuncie as principais iniciativas que não tenham sido atribuídas a uma equipe ou ofereça a oportunidade de engajamento em projetos temporários”, aconselha Ramakrishnan. “Depois de ter seus voluntários, nomeie um perito e monitore o progresso do grupo.”

A Kareo, prestadora de serviços de TI para o setor de saúde, rotineiramente permite a execução de projetos especiais voluntários, conta o vice-presidente de Desenvolvimento de Produto Jason Leu. Recentemente, um engenheiro da empresa ofereceu-se para criar uma ferramenta interna para responder a perguntas comuns dos clientes. O sistema tornou-se rapidamente o sistema central que a empresa usa para gerenciar consultas sobre contas de clientes.

“Este é o tipo de projeto que não teria sido priorizado através de processos normais, mas que acabou por ter um impacto profundo sobre o nosso negócio”, diz Leu.

Dica nº 3: Ressuscitar a caixa de sugestões
Você nunca vai saber que ideias brilhantes estão à espreita dentro de sua organização – e que funcionários as têm – se não fizer nada para que surjam, diz Newman HireVue.

“Nós gostamos de celebrar novas ideias, e as pessoas que as promovem são as primeiros na fila para promoções dentro da nossa empresa”, diz Newman HireVue.

Mas, acrescenta, é preciso ter uma cultura corporativa aberta a novas ideias, caso contrário, os funcionários podem se sentir traídos – e rapidamente se calar. Estar aberto é a chave para a retenção de jovens talentos tecnologia, diz Joel Bomgar.

“Na  Bomgar temos reuniões mensais de toda a empresa, durante a qual compartilho tudo o que está acontecendo, de bom ou de ruim, até o nosso saldo bancário corporativo”, diz ele. “Durante essas reuniões também leio e resolvo quase todos as sugestões anônimas que recebemos através das caixas espalhadas pela empresa, para que os funcionários conheçam os seus pontos de vista e saibam que estão sendo ouvidos e valorizados.

Dica n º 4: Converse sobre tecnologia
Uma das melhores maneiras de descobrir talentos escondidos é descobrir o que apaixona a sua equipe. Isso significa reservar tempo para jogar conversa fora, diz Perry Stoll, vice-presidente de engenharia e operações da Cloudant.

Segundo Stoll, na Cloudant a rotina dos funcionários inclui um tempo para conversar sobre artigos ou posts que lhes interessam, sentar, e conversar tecnologia, mesmo que a conversa não tenha nada a ver com tabalhos e projetos reais. “O objetivo é saber no que as pessoas estão prestando atenção”, diz ele. E focar atribuições desacordo com os interesses.

Dica n º 5:  Tire os empregados da zona de conforto
Às vezes, a melhor maneira de encontrar talentos escondidos é jogar as pessoas em águas desconhecidas e ver como elas nadam. Além de conhecer novas habilidades, tirando os empregados de suas zonas de conforto, colocá-los em novas situações de trabalho ajuda a mantêm-los afiados, diz Sarantakos TheLadders.

“Nada mata mais rápido a produtividade do que o tédio, então tento não manter ninguém na caixa por muito tempo”, diz ele. “No TheLadders, se alguém está trabalhando no back-end, nós damos uma chance para que tabalhe na linha de frente, diretamente com nossos consumidores. O objetivo é não colocar os funcionários na mesma rotina, dia após dia. O que fazemos é expô-los a novas tecnologias ou características do produto que não tenham visto antes, na esperança de que despertem.

Dica n º 6: Envolva as estrelas da companhia
A identificação de talentos exige talento. Se você quer contratar um engenheiro top  , você precisa de seus melhores engenheiros envolvidos na decisão. Se você quer tocar em competências já existentes na sua equipe, você precisa que suas estrelas estejam dispostas a ser mentoras dos jovens aspirantes.

“Se você quer alguém com capacidades para brilhar na área de banco de dados, você precisa de alguém que saiba fazer as perguntas certas para avaliar seus candidatos”, aconselha Allan Leinwand, vice-presidente e CTO da ServiceNow.

Trazer talentos para o processo de contratação também pode tornar sua empresa mais atraente para os recrutas promissores, diz Leu Kareo. “A Kareo aproveita nossos líderes em nossos esforços de recrutamento”, diz ele.

Você também pode usar o seu melhor para descobrir talentos ocultos na empresa, através de um programa de tutoria.

Dica n º 7: Empurre seus melhores funcionários para fora do ninho
Parece um pouco contra-intuitivo, mas uma das melhores maneiras de atrair e manter talentos é dizer quando é hora de deixar a sua equipe. Mas você deve drodar isso claro para toda a equipe,  para que saibam que você está interessado no sucesso de cada um no longo prazo, diz Stoll, mesmo que isso signifique, eventualmente, perder um empregado estrela.

“Você precisa ter conversas honestas com seus empregados e perguntar-lhes: ‘Então, quando você estará pronto para deixar a minha equipe?'”, Ele diz. “É uma conversa que diz:” Estou comprometido com o seu sucesso ao longo do tempo aqui na empresa”.

Os gerentes precisam resistir ao Princípio Dilbert, diz Stoll, e assumir que não podem segurar seus melhores empregados indefinidamente porque acreditam que geeks não se preocupam com o avanço da carreira.

“Você não pode manter engenheiros talentosos para sempre, mas você pode manter seus melhores engenheiros na empresa se demonstrar interesse pessoal em suas carreiras”, diz ele. “É mais do que descobrir talentos escondidas. É a noção de que realmente conhece as pessoas e as ajudará a serem encaixadas na foto maior.”

via Confira 7 dicas para estimular talentos do time de TI

Líderes de TI estão entre os profissionais que mais mudam de emprego

Com a grande demanda por especialistas em TI e a pouca oferta de talentos qualificados, os profissionais da área estão entre os que mais mudam de emprego no Brasil. A constatação é de um estudo realizado no País pela Hays Executive, consultoria especializada na contratação de executivos para o alto escalão.

De acordo com a Hays, o setor de TI apresenta maior rotatividade entre altos executivos, ou seja, entre os CIOS, CTOs e outros líderes de tecnologia.  Uma pesquisa por amostragem realizada pela consultoria comprovou que estes profissionais de tecnologia fazem transição em sua carreira, em média, a cada 2,6 anos. (mais…)

CRM é prioridade absoluta entre os gastos com TI em 2013/2014, afirma Gartner

Os software de CRM (Customer Relationship Management)  ocupam o primeiro lugar na lista de prioridades de investimentos mundiais das corporações em TI pra ao biênio 2013/2014, segundo pesquisa do Gartner com 1.5 mil executivos em 13 países, incluindo Austrália, Brasil, China, Colômbia, Alemanha, Índia, Indonésia, México, Rússia, Cingapura, Coreia do Sul, Reino Unido e organizações norte-americanas com pelo menos 500 funcionários, cobrindo uma grande variedade de indústrias , excluindo entidades governamentais.

O CRM superou o ERP (Enterprise Resource Planning), que ocupou o segundo lugar, e as suítes de escritório, em terceiro, de acordo com a Gartner. O BI, que vinha constando das primeiras posições nos cinco últimos anos, perdeu o posto. (mais…)

Segurança, o próximo “apagão” de mão de obra em TI

O próximo “apagão” de mão de obra em TI – se é que já não está acontecendo – estará em segurança da informação.

“Continuamos a ver uma revolução na gestão da informação, a necessidade de segurança adicional não apenas em sistemas tradicionais de informação”, disse Eddie Schwartz, diretor de segurança da RSA.

“Tradicionalmente, chefes de segurança tinham que se preocupar somente com a segurança da informação em redes clássicas – sejam elas mainframe ou documentos ou e-mail”, disse Schwartz. “Mas agora, temos que pensar também em uma rede que inclui torradeiras e automóveis e dispositivos médicos e outros aparelhos inteligentes.” (mais…)

Procura-se profissionais de tecnologia qualificados no Brasil

A demanda por profissionais de tecnologia da informação e comunicação (TIC) no Brasil excederá a oferta em 32% para o ano de 2015, chegando a uma lacuna de 117.200 trabalhadores especializados em redes e conectividade. Os dados são de um novo estudo da consultoria independente IDC, encomendado pela Cisco na América Latina.
O estudo “Habilidades em Redes e Conectividade na América Latina” (Networking Skills Latin America), analisou a disponibilidade de profissionais capacitados em TIC entre os anos 2011 e 2015, em oito países da região: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Peru e Venezuela. (mais…)

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!