4 tecnologias que vão transformar a TI

image_pdfimage_print

Social, mobilidade, cloud computing e informação. Estas são quatro tendências tecnológicas que vão mudar a forma como as empresas atuam em seu dia a dia, de acordo com o Gartner. Em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (03/04), durante lançamento do evento Gartner Data Center – Infrastructure & Operations Summit, que ocorre em São Paulo, capital, Cassio Dreyfuss, vice-presidente da empresa, detalhou os quatro aspectos. De acordo com o executivo, atualmente os setores que mais se adequam a essas melhores práticas são o financeiro – que é atuante e tira partido de maneira ativa -, a indústria de seguros, varejo, educação e saúde.

As empresas brasileiras, que registraram aumento de 12,5% no orçamento de TI em 2011, devem ter em mente que tecnologia é um investimento que aumenta a produtividade dos negócios. “Como bola da vez, o País passa por um período indisciplinado em que os profissionais do setor devem saber fazer gestão das ferramentas e não apenas aplicá-las e cuidar da manutenção”, afirmou.

Assim, eis os quatro pontos em que as empresas devem prestar mais atenção (e investimentos) na visão do Gartner:

Social: deve-se construir uma estratégia de mídias sociais e integrá-la com o Business Intelligence e com as estratégias de colaboração. Dreyfuss explicou que essa área é tão grande e tão ampla que é necessário a gestão. “É preciso desenhar processos estruturais que garantam que o desempenho será o projetado.”

Mobilidade: o movimento traga seu próprio dispositivo (bring your own device, Byod) é o grande responsável por esse tópico. Aqui, os setores de TI devem trabalhar com o departamento de marketing para identificar aplicações e estratégias que aprimoram a experiência de usuário ou suporte a novas ofertas. “Esse movimento permite que os profissionais sejam mais criativos”, afirmou David Coyle, vice-presidente de pesquisas do Gartner, apesar de todos os problemas de segurança que esse modelo pode causar.

Cloud computing: as companhias devem desenvolver estratégias e planos para se moverem em direção a uma arquitetura que facilite a adoção do modelo. Neste segmento, o executivo apontou que os brasileiros ainda estão atrasados. “A relação é a mesma que os CIOs tiveram com o outsourcing há 20 anos. Acham que vão perder a importância dentro das empresas, o que não é verdade. Eles devem aplicar as tecnologias aos negócios e não apenas executá-las.”

Informação: “Esqueça o que você aprendeu em gestão de dados. Dados estruturados não servem mais. Novos desafios surgem com o Big Data”, afirmou Dreyfuss.

Fonte: Information Week

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!