Topologias de Rede de Computadores

As redes de computadores  possibilitam que indivíduos possam trabalhar em equipes, compartilhando informações, melhorando o desempenho da realização de tarefas, e estão presentes no dia-a-dia de todos nós.  São estruturas sofisticadas e complexas, que mantém os dados e as informações ao alcance de seus usuários. É a topologia de redes  que descreve como as redes de computadores estão interligadas, tanto do ponto de vista físico, como o lógico. A topologia física  representa como as redes estão conectadas (layout físico) e o meio de conexão dos dispositivos de redes (nós ou nodos). Já a topologia lógica refere-se à forma com que os nós se comunicam através dos meios de transmissão.

Topologias Físicas

A topologia física pode ser representada de várias maneiras e descreve por onde os cabos passam e onde as estações, os nós, roteadores e gateways estão localizados. As mais utilizadas e conhecidas são as topologias do tipo estrela, barramento e anel.

Ponto a Ponto

A topologia ponto a ponto é a mais simples. Une dois computadores, através de um meio de transmissão qualquer. Dela pode-se formar novas topologias, incluindo novos nós em sua estrutura.

Barramento

Esta topologia é bem comum e possui alto poder de expansão. Nela, todos os nós estão conectados a uma barra que é compartilhada entre todos os processadores, podendo o controle ser centralizado ou distribuído. O meio de transmissão usado nesta topologia é o cabo coaxial.

Cada nó é ligado em “série” (um nó é conectado atrás do outro) em um mesmo backbone, de forma semelhante às luzinhas de natal. As informações enviadas por um nó trafegam pelo backbone até chegar ao nó de destino. Cada extremidade de uma rede de barramento deve ser terminada por um resistor para evitar que o sinal enviado por um nó através da rede volte quando chegar ao fim do cabo.

Todos os computadores são ligados em um mesmo barramento físico de dados. Apesar de os dados não passarem por dentro de cada um dos nós, apenas uma máquina pode “escrever” no barramento num dado momento. Todas as outras “escutam” e recolhem para si os dados destinados a elas. Quando um computador estiver a transmitir um sinal, toda a rede fica ocupada e se outro computador tentar enviar outro sinal ao mesmo tempo, ocorre uma colisão e é preciso reiniciar a transmissão.

Essa topologia utiliza cabos coaxiais. Para cada barramento existe um único cabo, que vai de uma ponta a outra. O cabo é seccionado em cada local onde um computador será inserido na rede. Com o seccionamento do cabo formam-se duas pontas e cada uma delas recebe um conector BNC. No computador é colocado um “T” conectado à placa que junta as duas pontas. Embora ainda existam algumas instalações de rede que utilizam esse modelo, é uma tecnologia obsoleta.

Embora esta topologia descrita fisicamente ter caído em desuso, logicamente ela é amplamente usada. Redes ethernet utilizam este tipo lógico de topologia.

Na topologia de barramento todos os computadores estão ligados a um cabo contínuo que é terminado em ambas as extremidades por uma pequena ficha com uma resistência ligada entre a malha e o fio central do cabo (terminadores). A função dos “terminadores” é de adaptarem a linha, isto é, fazerem com que a impedância vista para interior e para o exterior do cabo seja a mesma, senão constata-se que há reflexão do sinal e, consequentemente, perda da comunicação. Neste tipo de topologia a comunicação é feita por broadcast , isto é, os dados são enviados para o barramento e todos os computadores vêem esses dados, no entanto, eles só serão recebidos pelo destinatário.

As estações de trabalho e servidores são ligados ao cabo através de conectores, conhecidos como vampiros, que permitem a ligação ao cabo sem a necessidade de cortá-lo, já que mecanicamente uma pequena agulha penetra no cabo fazendo contato com o condutor interno, enquanto o restante faz contato com a malha externa.

Vantagens:

  • Bidirecional
  • Baixo custo inicial.

 Desvantagens:

  • Dificuldade de isolar a fonte de uma falha de sistema ou equipamento.
  • Ampliação da rede: inclusão de novas estações e/ou servidores implicam na paralisação da rede.

Anel ou Ring

A topologia em anel utiliza em geral ligações ponto-a-ponto que operam em um único sentido de transmissão. O sinal circula no anel até chegar ao destino. Esta topologia é pouco tolerável à falha e possui uma grande limitação quanto a sua expansão pelo aumento de “retardo de transmissão” (intervalo de tempo entre o início e chegada do sinal ao nó destino).

Como uma rede de barramento, os anéis também têm nós ligados em série. A diferença é que a extremidade da rede volta para o primeiro nó e cria um circuito completo. Em uma rede em anel, cada nó tem sus vez para enviar e receber informações através de um token (ficha). O token, junto com quaisquer informações, é enviado do primeiro para o segundo nó, que extrai as informações endereçadas a ele e adiciona quaisquer informações que deseja enviar. Depois, o segundo nó passa o token e as informações para o terceiro nó e assim por diante, até chegar novamente ao primeiro nó. Somente o nó com o token pode enviar informações. Todos os outros nós devem esperar o token chegar.

Na topologia em anel os dispositivos são conectados em série, formando um circuito fechado (anel). Os dados são transmitidos unidirecionalmente de nó em nó até atingir o seu destino. Uma mensagem enviada por uma estação passa por outras estações, através das retransmissões, até ser retirada pela estação destino ou pela estação fonte. Os sinais sofrem menos distorção e atenuação no enlace entre as estações, pois há um repetidor em cada estação. Há um atraso de um ou mais bits em cada estação para processamento de dados. Há uma queda na confiabilidade para um grande número de estações. A cada estação inserida, há um aumento de retardo na rede. É possível usar anéis múltiplos para aumentar a confiabilidade e o desempenho.

Vantagens:

  • Direcionamento simples.
  • Possibilidade de ter dois anéis funcionando ao mesmo tempo, onde caso exista falha em um, somente ocorrerá uma queda de performance.

Desvantagens:

  • Dificuldade de isolar a fonte de uma falha de sistema ou de equipamento.
  • Ampliação da rede, inclusão de novas estações ou servidores implica na paralisação da rede.

Estrela

A topologia em estrela utiliza um nó central (comutador ou switch) para chavear e gerenciar a comunicação entre as estações. É esta unidade central que vai determinar a velocidade de transmissão, como também converter sinais transmitidos por protocolos diferentes. Neste tipo de topologia é comum acontecer o overhead localizado, já que uma máquina é acionada por vez, simulando um ponto-a-ponto.

Em uma rede em estrela, cada nó se conecta a um dispositivo central chamado hub. O hub obtém um sinal que vem de qualquer nó e o passa adiante para todos os outros nós da rede. Um hub não faz nenhum tipo de roteamento ou filtragem de dados. Ele simplesmente une os diferentes nós.

A mais comum atualmente, a topologia em estrela utiliza cabos de par trançado e um concentrador como ponto central da rede. O concentrador se encarrega de retransmitir todos os dados para todas as estações, mas com a vantagem de tornar mais fácil a localização dos problemas, já que se um dos cabos, uma das portas do concentrador ou uma das placas de rede estiver com problemas, apenas o nó ligado ao componente defeituoso ficará fora da rede. Esta topologia se aplica apenas a pequenas redes, já que os concentradores costumam ter apenas oito ou dezesseis portas. Em redes maiores é utilizada a topologia de árvore, onde temos vários concentradores interligados entre si por comutadores ou roteadores.

Vantagens:

  • Facilidade de isolar a fonte de uma falha de sistema ou equipamento, uma vez que cada estação está diretamente ligada  ao concentrador.
  • Facilidade de inclusão de nova estação na rede, bastando apenas conectá-las ao concentrador.
  • Direcionamento simples, apenas o concentrador tem esta atribuição.
  • Baixo investimento a médio longo prazo.

Desvantagens:

  • Confiabilidade – uma falha no concentrador, no caso de redes sem redundância, todas as estações perderão comunicação com a rede.
  • Todo o tráfego flui através do concentrador, podendo representar um ponto de congestionamento.

Árvore

A topologia em árvore é basicamente uma série de barras interconectadas. É equivalente a várias redes estrelas interligadas entre si através de seus nós centrais. Esta topologia é muito utilizada na ligação de Hub’s e repetidores.

A topologia em árvore é essencialmente uma série de barras interconectadas. Geralmente existe uma barra central onde outros ramos menores se conectam. Esta ligação é realizada através de derivadores e as conexões das estações realizadas do mesmo modo que no sistema de barra padrão.

Cuidados adicionais devem ser tomados nas redes em árvores, pois cada ramificação significa que o sinal deverá se propagar por dois caminhos diferentes. A menos que estes caminhos estejam perfeitamente casados, os sinais terão velocidades de propagação diferentes e refletirão os sinais de diferentes maneiras. Em geral, redes em árvore, vão trabalhar com taxa de transmissão menores do que as redes em barra comum, por estes motivos.

Topologia física baseada numa estrutura hierárquica de várias redes e sub-redes. Existem um ou mais concentradores que ligam cada rede local e existe um outro concentrador que interliga todos os outros concentradores. Esta topologia facilita a manutenção do sistema e permite, em caso de avaria, detectar com mais facilidade o problema.

Estrutura Mista ou Híbrida

A topologia híbrida é bem complexa e muito utilizada em grandes redes. Nela podemos encontrar uma mistura de topologias, tais como as de anel, estrela, barra, entre outras, que possuem como características as ligações ponto a ponto e multiponto.

É a topologia mais utilizada em grandes redes. Assim, adequa-se a topologia de rede em função do ambiente, compensando os custos, expansibilidade, flexibilidade e funcionalidade de cada segmento de rede.

Muitas vezes acontecem demandas imediatas de conexões e a empresa não dispõe de recursos, naquele momento, para a aquisição de produtos adequados para a montagem da rede. Nestes casos, a administração de redes pode utilizar os equipamentos já disponíveis considerando as vantagens e desvantagens das topologias utilizadas.

Consideremos o caso de um laboratório de testes computacionais onde o número de equipamentos é flutuante e que não admite um layout definido. A aquisição de concentradores ou comutadores pode não ser conveniente, pelo contrário até custosa. Talvez uma topologia em barramento seja uma solução mais adequada para aquele segmento físico de rede.

Numa topologia híbrida, o desenho final da rede resulta da combinação de duas ou mais topologias de rede. A combinação de duas ou mais topologias de rede permite-nos beneficiar das vantagens de cada uma das topologias que integram esta topologia. Embora muito pouco usada em redes locais, uma variante da topologia em malha, a malha híbrida, é usada na Internet e em algumas WANs. A topologia de malha híbrida pode ter múltiplas ligações entre várias localizações, mas isto é feito por uma questão de redundância, além de que não é uma verdadeira malha porque não há ligação entre cada um e todos os nós, somente em alguns por uma questão de backup.

Topologias Lógicas

A topologia lógica descreve o fluxo de dados através da rede. Os dois tipos de topologias lógicas mais comuns são o Broadcast e a passagem Token. Na primeira o nó envia seus dados a todos os nós espalhados pela rede (Ethernet). Já na passagem de Token, um sinal de Token controla o envio de dados pela rede (Token Ring).

Questões de Concursos

(CESPE – 2010 – INMETRO) Em relação aos meios de transmissão e às topologias das redes de computadores, assinale a opção correta.
a) Os meios de transmissão não guiados transportam ondas eletromagnéticas com o uso de um condutor físico.
b) Os cabos de par trançado podem transportar sinais de frequência mais alta que os cabos coaxiais.
c) As ondas infravermelhas são utilizadas atualmente, principalmente, para a comunicação em curta distância. Todavia, elas também podem ser usadas em redes WAN internas.
d) A topologia em anel é multiponto. Um sinal percorre todo o anel em um sentido, até atingir seu destino.
e) Em uma topologia de barramento, os nós são conectados ao barramento por meio de cabos transceptores e transceptores-vampiros.

 

(FCC – 2009 – MPE-SE) Considere as seguintes características:
– vulnerabilidade a falha no nó central; 
– roteamento centralizado; 
– ligações ponto a ponto; 
– todas as mensagens passam pelo nó central; 
– custos dos meios físicos sobem proporcionalmente com o aumento da quantidade de estações em relação a outras topologias.

Com respeito à topologia de redes:
a) todas se aplicam ao tipo Barramento.
b) apenas as duas últimas se aplicam ao tipo Estrela.
c) todas se aplicam ao tipo Estrela.
d) apenas as duas primeiras se aplicam ao tipo Anel.
e) todas se aplicam ao tipo Anel.

Comentários/Gabarito das Questões

(CESPE – 2010 – INMETRO) Em relação aos meios de transmissão e às topologias das redes de computadores, assinale a opção correta.
a) Os meios de transmissão não guiados (infravermelho, rádio/microondas, satélites) transportam ondas eletromagnéticas SEM o uso de um condutor físico, mas sim utilizam o meio disperso, no caso o AR.

b) Os cabos de rede do tipo par trançado tem uma taxa maior de dados (até 1000 mbps) e sempre tem uma frequência menor (até 500 MHz – cat 7) em comparação ao coaxial (até 20 mbps na taxa de dados e até 1 GHz na frequência)

c) O infravermelho realmente só pode ser utilizado em distâncias curtas, mas não se aplicam às WAN por não ultrapassar barreiras físicas. A sua utilização não passar, normalmente, de 7 metros e os dois objetos devem “ver” um ao outro, ou seja, alinhados.

d) A topologia em anel utiliza conexão ponto-a-ponto. Veja a imagem do artigo.

e) CORRETA

Fica a dica para conferirem o artigo sobre Meios de Transmissão de Dados aqui do meu blog.

 

(FCC – 2009 – MPE-SE) Considere as seguintes características:
– vulnerabilidade a falha no nó central; 
– roteamento centralizado; 
– ligações ponto a ponto; 
– todas as mensagens passam pelo nó central; 
– custos dos meios físicos sobem proporcionalmente com o aumento da quantidade de estações em relação a outras topologias.

Letra “C”. Todas se aplicam a topologia Estrela.

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL).
Certificações que possuo: CompTIA Security+, EXIN EHF, MCSO, MCRM, ITIL v3.
Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão e Governança de TI, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense.

6 Responses to “Topologias de Rede de Computadores”

  1. Daniela disse:

    Olá será que me poderia dizer quais são as vantagens e desvantagens da topologia em árvore?

  2. ynara disse:

    como e feita a transmição do sinal numa topologia em barra ? o que isso acarreta ?

  3. cristina disse:

    ola diego tas bom???? ,tenho tantas duvividas sobre estes assuntos beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!