TI lidera ranking de fusões e aquisições no Brasil

image_pdfimage_print

O setor de Tecnologia da Informação continua liderando o ranking de fusões e aquisições no Brasil. Segundo estudo realizado pela KPMG no País, foram realizadas em 2011 um total de 90 operações no segmento no País, com aumento de 5,9% sobre as 85 reportadas no ano anterior.

Desde 2008, que essa área é a que mais registra associações no Brasil e mercado mundial. Um dos motivos é a consolidação da indústria de hardware, software e prestadores de serviços. Outro fator é o surgimento de novas tecnologias que obriga a celebração de casamentos para reforço da oferta para atendimento aos clientes. Um exemplo disso, é a popularização de cloud computing, do crecimento da mobilidade e o avanço das redes sociais, que estão gerando muitas movimentações no setor.

Em segundo lugar do ranking de fusões e aquisições ficou o segmento de telecomunicações e mídia, com 59 operações, um salto de 110,7% ante os 28 negócios registrados em 2010. Um dos fatores para o aumento nessa área foi o volume de transações envolvendo empresas pontocom.

O estudo contabiliza transações envolvendo aporte de capital estrangeiro em empresas locais, associações entre companhias estabelecidas no País e aquisições de empresas estrangeiras por grupos nacionais.

Fusões em geral

Ao todo, o estudo da KPMG revela que foram realizadas 817 operações de fusões e aquisições em todos os segmentos da economia no Brasil, envolvendo direta ou indiretamente empresas brasileiras no ano de 2011. Esse número representa 91 operações a mais que as 726 efetuadas em 2010.

Os negócios entre empresas brasileiras também estabeleceram um recorde em 2011, somando todos os segmentos analisados superou a marca anterior de 379 negócios observada em 2008. As operações entre empresas nacionais corresponderam a 50% do total dos negócios do ano, aponta o relatório.

As transações entre empresas estrangeiras e de capital brasileiro estabelecida no Brasil apresentaram uma evolução de 19%, com 208 negócios em 2011, frente aos 175 de 2010. Segundo o estudo, o Brasil esteve na agenda dos investidores estrangeiros em 2011 que, apesar das turbulências verificadas nos Estados Unidos e na Europa, identificaram  oportunidades para expandir suas operações por aqui.

Em contrapartida, as transações de internacionalização de empresas brasileiras tiveram recuo de 14%, passando de 65 negócios em 2010 para 56 em 2011. Também foi observada uma queda de 17% nas operações entre empresas de capital brasileiro que adquirem companhias estrangeiras estabelecidas no País, com 29 contratos contra 35 de 2010.

Fonte: Computer World

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!