Confira os principais erros que põe em risco a contratação na entrevista de emprego

image_pdfimage_print

Com a finalidade de impressionar o entrevistador, um candidato pode atentar simples falhas, que deixam uma má impressão  na entrevista de emprego. Antes de realizar a entrevista, o candidato precisa cancelar algumas tarefas da tabela de preparação, como conferir quais são as questões clássicas, pesquisar as informações relevantes sobre a função e companhia e recordar seus pontos fortes.

Próxima a hora de destacar suas desenvolturas em frente ao recrutador, o profissional deve ter calma e procurar evitar os 6 exemplos a seguir, para não por em risco a contratação.

Usar o celular

Pode até parecer uma recomendação desnecessária, porém diversos candidatos acabam esquecendo de desligar os celulares e atendem a ligação em frente ao entrevistador. “A atenção do profissional deve estar voltada para a entrevista de emprego, não só para não atrapalhar a sua concentração, mas em respeito ao entrevistador”, diz Mariciane Gemin, sócia-gerente da consultoria Asap.

Até na sala de espera, que precede à entrevista, recomenda-se aproveitar o momento para se concentrar e tentar relaxar antes da entrevista.

Usar gírias em excesso

O candidato precisa se sentir à vontade, porém sem abusar no coloquialismo. Igualmente como usar uma traje ideal para a ocasião, o candidato deve saber empregar a linguagem que a momento exige.

“A entrevista de emprego é um ambiente que pede formalidade, o uso de gírias ou expressões são mais apropriadas para o convívio com amigos e família”, diz Mariciane.

Falar mal do emprego anterior

O desafio do candidato é esclarecer porque está deixando o emprego atual ou porque busca novas expectativas sem falar mal da companhia onde atua. O risco é transmitir um conceito de presunção ou de ser um profissional que não tem foco no que almeja para a carreira.

Para evitar a difamação já de começo, a especialista recomenda não empregar o tom pejorativo quando mencionar o gestor e local de trabalho atuais. “É melhor se focar nos planos para o futuro e nas metas que o candidato tem para a própria carreira”, assinala.

Fazer propaganda enganosa

Demonstrar falta de coerência nas respostas é uma falha corriqueira entre candidatos que não querem perder a oportunidade de concorrer à vaga, mesmo que não se adequem ao perfil. “Há aquelas pessoas que não atendem em plenitude alguns requisitos para a vaga, mas respondem positivamente para prosseguir no processo de seleção”, explica Mariciane.

“O recrutador não irá se lembrar do profissional para outro projeto, porque vai antes se lembrar de alguém que não foi totalmente honesto na seleção”, adverte a consultora. Do mesmo jeito que o candidato deverá comprovar suas disposições e pontos positivos durante a resposta, ele poderá ser interrogado sobre peculiares que necessita desenvolver.

“Principalmente com os mais jovens, é comum o recrutador perguntar se há algum aspecto que eles consideram que precisam aprimorar. É importante saber o que dizer sem também correr o risco de falar demais”, ressalta. Para não fazer propaganda enganosa, o certo é se preparar antes para saber o que dizer de si mesmo.

Não fazer a tarefa de casa

O entrevistador calcula que o candidato à vaga de emprego possui as condições necessárias para desempenhar a função e isso quer dizer que precisa estar a par sobre a atuação da companhia e o que se espera dos funcionários.

Indagar o que a companhia realiza ou não saber responder perguntas básicas sobre a empresa evidencia falta de interesse. Para o entrevistador, quem não estava disposto em realizar a tarefa de casa, do mesmo modo não terá disposição em atuar na companhia.

Rir muito ou chorar

Dependendo da ocasião ou da personalidade e ansiedade do candidato, é normal que as emoções estejam à flor da pele e o entrevistador está preparado para compreender a circunstância.

Mesmo assim, candidatos que brincam fora da hora ou forçam piadas podem soar inconvenientes. “A entrevista de emprego pede uma seriedade e postura que o candidato precisa ter em mente”, diz a consultora.

Por outro lado, existem candidatos que são muito sentimentais e choram durante a entrevista. “Isso acontece geralmente com pessoas que passam por situações difíceis ou são mais intensas. Dentro de um contexto, o recrutador poderá não rotular o candidato”.

O ideal é que o candidato tire alguns instantes para se acalmar antes da entrevista e esteja preparado para questões ou circunstâncias adversas e, se possível controlar a postura e sustentar a seriedade.

Fonte: Mundo das Tribos

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!