Certificações abrem portas, mas não garantem seu emprego

O tema do artigo de hoje é as tão almejadas certificações. A verdade é que elas vão dar destaque ao seu currículo; e, em muitos casos, serão o passaporte para um emprego. Mas uma coisa é conseguir um emprego, a outra é se manter nele. Para isso, serão necessários mais que papéis com chancelas, PIN’s e assinaturas bonitinhas. Competências e habilidades pessoais deverão ser demonstradas no dia a dia.

Para evitar entrar em uma situação desagradável, recomendo refletir sobre os seguintes pontos:

1. Antes de se candidatar a uma vaga, procure entender quais serão suas atividades e a sua rotina – principalmente se você estiver mudando de uma função técnica, para uma função de gestão. Em alguns casos, a mudança é bem agressiva e vai exigir alguns meses para adaptação.

Eu, por exemplo, levei três meses para “aterrissar” e entender o que de fato eu estava fazendo naquela função, quando migrei da área técnica para a área de gestão. Corri um risco enorme, pois não consultei ninguém antes. Não cometa o mesmo erro.

2. Seja prudente e não minta. Assumir tarefas que nunca desempenhou e depois ficar em uma tremenda saia justa por não saber como realizá-las pode custar o seu emprego. E pior, a sua reputação. O mundo de TI é muito pequeno, não vale a pena correr este risco.

Se você tem apenas um certificado na mão e nenhuma experiência, vá em frente. Muitas empresas preferem contratar profissionais mais “crús” e moldá-los de acordo com as regras e rotina da empresa.

3. Evite passar a imagem de “sabe-tudo”. Quando acumulamos um certo número de certificações e de experiência prática, tendemos a achar que conseguimos lidar com todos os desafios facilmente. Não caia nessa.

Recordo-me de pelo menos três momentos da minha carreira nos quais conclui que não sabia nada de ITIL. Manter a humildade e estar sempre aberto para novos pontos de vista é uma boa forma de não prejudicar um projeto importante e, como consequência, ser convidado a procurar outra empresa.

4. Por ultimo e não menos importante: Esteja antenado! As coisas acontecem e mudam o tempo todo. A ITIL mudou de v2 para v3 e em 2011 já ganhou um update da v3 – e não foram poucas mudanças. Estar atualizado pode ser o pulo do gato e pode garantir os poucos centésimos de pontos que o classificam em uma seleção de emprego. Além disso, a vivência prática de outras pessoas pode servir como bagagem para futuros desafios em sua carreira.

Bem, mas se você leu este artigo até aqui, ou acompanha as discussões do grupo ITIL na prática, no LinkedIN, ou outros fóruns sobre o assunto, já é sinal de que essa dica você já considerou!

Espero ter contribuído com algumas observações que façam você refletir sobre o assunto e sua posição no mercado. Comentários e sugestões de outras “boas práticas” são sempre bem-vindos!

Fonte: iMasters

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Certificações que possuo: CompTIA Security+, EXIN EHF, MCSO, MCRM, ITIL v3. Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão e Governança de TI, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!