Pesquisador brasileiro cria método de detecção de malwares

image_pdfimage_print

Em uma iniciativa inédita no mundo, um pesquisador brasileiro da Trustwave, empresa especializada em segurança da informação e soluções de conformidade com padrões de segurança, está investigando a análise de cabeçalhos HTTP (Protocolo de Transferência de Hipertexto) como nova alternativa para a detecção de tráfego malicioso na Internet e na comunicação de máquinas infectadas por sites baseados em servidores C&C (Command and Control Server).

O método é muito mais simples que o convencional e abre, na prática, um novo capítulo na proteção contra o crime cibernético, por ampliar os níveis de automação na detecção das ameaças. Rodrigo Montoro, que integra o SpiderLabs – grupo de inteligência  avançada da Trustwave – é o propositor e responsável pela coordenação do projeto. No momento, Rodrigo trabalha com uma equipe integrada por pesquisadores de várias partes do mundo para aprofundamento e evolução da descoberta.

De acordo com o especialista, a análise dos cabeçalhos abre grandes possibilidades de se cobrir uma importante janela de vulnerabilidade no uso da Internet. “Por ser um dos alicerces da Web, interligando computadores e sites, o protocolo HTTP está presente em toda parte, fazendo com que enormes quantidades de malwares se aproveitem deste tipo de tráfego”, nota ele, lembrando que, a cada segundo, surge um novo malware que é gerado e espalhado na rede global.

“O exame dos cabeçalhos HTTP representa um passo à frente na área de segurança da informação e uma maneira muito mais eficaz e direta de se detectar ameaças que a tradicional análise de tráfego na Web”, afirma ele.

Conforme Montoro, as conexões maliciosas tendem a ocasionar comportamentos diferentes no tráfego HTTP. Elas costumam, por exemplo, reutilizar códigos compartilhados e, frequentemente, empregam tipos de cabeçalho de características incomuns ou claramente fraudulentas, o que serve de importante indício de tráfego malicioso.

Em testes preliminares com tráfegos maliciosos conhecidos, a equipe da Trustwave analisou 6.127 canais de fluxo de dados (“streams”) e o sistema de scoring foi capaz de detectar precisamente 89,1% dos sites que estavam liberando algum tipo de tráfego infectante. O sistema teve uma taxa de falso-positivo de cerca de 9% e o objetivo é reduzir este índice para menos de 2%.

Segundo Jarrett Benavidez, diretor da Trustwave para o Brasil e América Latina, após a fase de testes de prova, os resultados da pesquisa deverão desembocar na oferta de um filtro de conteúdo na Web ou então poderão gerar um novo recurso a ser integrado às soluções WAF (Firewall de Aplicações Web) que são desenvolvidas pela empresa.

“Depois de concluído o projeto, deveremos agregar essa nova técnica de detecção ao portfólio da Trustwave, de sorte a resguardar várias frentes de ameaças e ampliar a proteção dos usuários” comenta Luiz Eduardo dos Santos, diretor do SpiderLabs para o Brasil e América Latina.

Com a apresentação desta descoberta, Rodrigo Montoro vem chamando a atenção da comunidade internacional de segurança, tendo sido um dos destaques da última conferência SecTOR, no Canadá, uma das mais prestigiadas do mundo. A apresentação foi também um dos pontos altos da Silver Bullet Conference Brazil, que reuniu, em novembro, os maiores especialistas do Brasil e de diversas partes do mundo.

via IT Careers – Convergência Digital – Pesquisador brasileiro cria método de detecção de malwares.

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!