Empregabilidade: veja 12 dicas para se preparar

image_pdfimage_print

Em um mundo em constante transformação, o tema empregabilidade está mais vivo que nunca. A cada solavanco na economia milhões de pessoas sofrem sobressaltos no seu posto de trabalho. Você está preparado para isso?

1. A responsabilidade pela garantia do trabalho não é das organizações, é antes de tudo uma obrigação de cada indivíduo. “Não é o touro que mata o toureiro. O toureiro é que se deixa matar”.

2. O artista tem que estar onde o povo está – diz Milton Nascimento. A empregabilidade pressupõe mudar de cidade, estado, pessoas. Ser nômade virou competência.

3. Complementando: você sabe transitar tranquilamente por ambientes multiculturais e tem jeito para entender e conviver com as diferenças? Por exemplo, deixaria São Paulo para trabalhar no Pará? Vale lembrar que a gente não pode querer a isca e o peixe. Tudo é uma troca. Para ganhar alguma coisa é preciso perder outra. Sair da zona de conforto é um pré-requisito.

4. Em momentos de crise nada é mais importante do que aprender novas profissões. Desenvolver novas habilidades e competências. Renovar-se constantemente. Nunca ter medo de tentar algo novo mesmo que ainda pequeno. Afinal, um amador solitário construiu uma arca e um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.

5. Desapegar-se do fetichismo de cargos e posições. Se o trabalho oferecido lhe garante a sobrevivência e um grau de satisfação, vá em frente. Ser humilde é fundamental.

6. Você é capaz de definir em poucas palavras seu mercado alvo? O inimigo do bom é o melhor.

7. Você tem um belo passado de glórias. Porém, sabe quanto o mercado está disposto a remunerar pelos seus serviços?

8. Aprendizado contínuo difundido há alguns anos é cada vez mais forte quando se fala em empregabilidade. Jornais, revistas, internet. Tem que estar atualizado. Mas escolha os temas com cuidado. Existem muitos secretários de Deus proclamando notícias de caráter duvidoso e, sobretudo alarmista na questão da recolocação. A Internet fornece todo dia milhares de falsos profetas. Não aceite de imediato uma informação como verdadeira. Nem estas mal traçadas linhas que escrevo. Reflita.

9. Aceitar críticas. Receba críticas sem pedras nas mãos. Acho que onde não há crítica o inimigo ajuda. Como no mundo corporativo, o pior cliente é aquele que não reclama. Aquele que o adula ou concorda com você 100% quase nunca é seu amigo de fato. Críticas são uma ferramenta fantástica para nossa autoavaliação. Porém, seja crítico também quanto aos palpiteiros.

10. Não deixe que os outros tenham piedade de você. Isto é a pior coisa: o coitadinho.

11. Se você é do tipo que resiste, um conselho pare de viver o passado. Tem gente que vive presa ao que já aconteceu que resiste às novas ideias e às mudanças e, ao mesmo tempo, é neuroticamente preocupada com o envelhecimento, sem se dar conta de que são essas atitudes que, de fato, as tornam velhas. Saia da mesmice! Não adianta arrumar as mesas e cadeiras no convés do Titanic.

12. Por fim, abandonar a histeria coletiva corporativa de que tudo está ruim, que está difícil, é fundamental. Evite pessoas nocivas e amargar notícias ou eventos que vendem a imagem da desgraça. Isto dá audiência a eles e ansiedade a você.

Fonte: Portal Administradores – José Zulmar

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!