Crase

Crase não é acento, e sim superposição de dois “as”. O primeiro é uma preposição, o segundo, pode ser um artigo definido, um pronome demonstrativo a(as) ou aquele(a/s), e aquilo.

O acento que marca este fenômeno é o grave (`).

Vejamos algumas de suas ocorrências básicas abaixo:

  1. Junção da preposição “a” com o artigo definido feminino “a”
    Ele está vinculado à escola.
  2. Em locuções femininas
    à frente de; à esquerda de; à direita de; à medida que; às vezes; à noite; à moda, entre outras.

Casos proibitivos

  1. Quando o “a” estiver antes de palavra no plural, pois ele será apenas uma preposição.
    Ex.: “Ele foi fiel às leis antigas
    Veja que quem é fiel, é fiel “a” alguém ou alguma coisa. Sendo assim ele rege a preposição “a”. Neste exemplo estamos utilizando a crase, pois “leis antigas” está no plural e teremos o artigo “as”. Logo, teremos a junção da preposição “a” com o artigo definido “as”)
  2. Não se utiliza crase antes de artigo indefinido.
    Ex.: um, uma, uns, umas, qualquer, cada, toda, ninguém, alguém, nada, tudo, quem, alguma, nenhuma.
  3. Não se utiliza crase antes de pronomes pessoais.
    Ex.: “Nada direi a ela.”
    São os pronomes: “me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, se, os, as, lhes, mim, ti, si, ele, ela, nós, vós, si, eles, elas, etc.”
  4. Não se utiliza crase antes de pronomes de tratamento. *Exceção quando for “senhora, dona, senhorita”.
    Ex.: “Enviei uma mensagem a Vossa Majestade.
    *”Enviei uma mensagem à senhora.
  5. Não se utiliza crase antes de pronomes indefinidos.
    Ex.: “Permiti apenas a uma mulher conhecer-me.”
  6. Não se utiliza crase antes de pronomes demonstrativo.Ex.: “Referi-me a esta roupa.”
    São os pronomes: este(s), esta(s), esse(s), essa(s). 
  7. Antes de palavras masculinas.
    Ex.: “Gosto muito de andar a pé.”
  8. Antes do infinitivo.
    Ex.: “A seguir, ouviremosa leitura da ata desta assembléia.
  9. Diante de palavras repetidas.
    Ex.: “cara a cara; frente a frente; etc

Casos facultativos

  1. Antes de nome próprio feminino. *Exceção em nomes de personalidade pública – sem artigo.
    Ex.: Referia-me a/à Maria.
  2. Antes de pronome adjetivo possessivo feminino.
  3. Ex.: “Pediu informações a/à minha secretária.”

  4. Depois da preposição “até”.
    Ex.: “Andei até a/à residência dele.”

Casos particulares

  1. Quando a palavra “casa” é empregada no sentido de “lar” e não vem determinada por nenhum adjunto adnominal, não ocorre a crase.
    Ex.: “Regressaram a casa para almoçar.”
    “Regressaram à casa de seus pais.
  2. Quando a palavra “terra” for utilizada para designar “chão firme”, não ocorre crase.
    Ex.: “Regressaram a terra depois de muitos dias.”
    “Regressaram à terra natal.
  3. Pronomes demonstrativos: aquele(s), aquela(s), aquilo. Se o tempo que antecede um desse pronomes demonstrativos reger a preposição a, vai ocorrer a crase.
    Ex.: “Ele se referiu àquela casa.”
  4. A zero hora.
    Ex.: “Ele trabalha da zero hora às duas horas.”
  5. Quando houver horas determinada.
    Ex.: “Da uma às oito horas.” (hora determinada)
    “Vamos nos encontrar a uma hora dessas.” (hora indeterminada)
    “Vamos nos encontrar à uma hora.” (hora determinada = 13h)
    “Estamos a uma hora do litoral” (sentido de tempo de distância não usa crase – 60 minutos)
  6. Na expressão “à moda de”, mesmo que a palavra “moda” venha oculta:
    Ex.: “Usam sapatos à (moda de) Luís XV.”

Dicas

  1. Antes de topônimos de cidades que não admitem “a”, basta lembrar do seguinte: “Ir à e voltar da, crase há! Ir a e voltar de, crase para quê?”
    Ex.: “Vou à Islândia. / Vim da Islândia.
    Vou a Cuba. / Vim de Cuba.
  2. Método da Troca – Fazemos a troca do “a” por uma preposição para verificar se ela realmente existe na frase.
    Podem ser as preposições: para a; da; na; pela; com a.
    Se couber uma destas preposições, haverá crase.

    Ex.: “Falei à aluna. / Falei para a aluna.
    Falei a essa aluna. / Falei com a essa aluna.
  3. Método da Troca 2 – Troca-se por um sinônimo masculino. “à” (feminino) X “ao” (masculino).
    Ex.: “Ele foi fiel à lei. / Ele foi fiel ao decreto.
    Ele se referiu à mesma mulher / Ele se referiu ao mesmo homem.
    Ele nunca se referiu a mulher alguma. / Ele nunca se referiu a homem algum.

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Certificações que possuo: CompTIA Security+, EXIN EHF, MCSO, MCRM, ITIL v3. Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão e Governança de TI, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!