Qual o futuro dos altos salários em TI?

Nós últimos três anos, os veículos de comunicação anunciaram exaustivamente a explosão no número de vagas e o consecutivo aumento dos salários para os cargos mais técnicos na área de TI (web designers, programadores, analistas, gerentes de projetos, entre outros). Mas lamento ter que dizer: aproveitem, pois esse movimento de alta deve durar no máximo de cinco a dez anos!

Quando um novo mercado se instala, sempre existe um intervalo entre o surgimento de uma nova demanda e a estruturação de uma oferta que a atenda. Nesse caso, podemos chamar de DEMANDA a busca do mercado por sites, sistemas, plataformas de e-commerce, consultorias etc.; e podemos chamar de OFERTA a quantidade de profissionais verdadeiramente capacitados para tal tarefa.

“O espaço entre as curvas de demanda e oferta refletem o tempo de adequação do mercado à crescente capacitação de mão de obra, que naturalmente irá conter e reordenar os salários.”

Mas de onde tirei essas conclusões?

Se analisarmos nossa infalível história, que já nos apresentou movimentos semelhantes na estruturação da mão de obra em setores como o têxtil e o automobilístico, no período pós revolução industrial, e que ainda repetiu sua dose de ensinamentos na explosão do PC (Personal Computer) e o consecutivo amadurecimento das telecomunicações nos anos 80 e 90, veremos um tempo de adequação dos processos e a formatação de uma estrutura departamental que se estabiliza com o tempo. Não estou dizendo que não teremos altos salários em TI, mas certamente teremos uma visão menos “afoita” e mais ordenada do que temos hoje.

As grandes empresas sabem que esse efeito inflacionário é temporário e que no futuro teremos a visão de um novo departamento de TI, com executivos mais experientes na gestão, que viveram esse movimento desde o início, e uma estrutura de hierarquia mais racional com relação aos planos de cargos e salários. Mas, por favor, não estou dizendo para os profissionais se desanimarem com isso, muito pelo contrário! Teremos um Grande Novo Mercado de TI pela frente, só que muito mais exigente quanto à especialização dos técnicos e muito mais pluralista quanto aos gestores.

Dica

Sugiro aos programadores e especialistas que se questionem: eu sou um mesmo um especialista ou navego por várias áreas? Esse será o primeiro passo rumo à porta do sucesso em TI nos próximos dez anos. E uma segunda pergunta seria: se tivesse que escolher hoje, quais áreas tenho mais aptidão para me especializar? E qual segmento de negócios pagaria melhor pelo meu trabalho? Ora, se você é um especialista, deve saber em que segmento focar para conseguir melhores resultados com sua energia.

O conceito generalista de “sou especialista em Internet” já está por um fio. Lembre-se, com o aumento crescente da oferta de mão de obra no mercado, as empresas buscarão – e poderão – escolher profissionais cada vez mais especializados em áreas-chave do negócio: web-designers, analistas de SEO, desenvolvedores de aplicativos móveis, técnicos em segurança de servidores etc.; sem falar nos gestores de e-commerce e marketing digital, claro.

Esse é o futuro. Especialize-se!

Fonte: iMasters

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Certificações que possuo: CompTIA Security+, EXIN EHF, MCSO, MCRM, ITIL v3. Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão e Governança de TI, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!