Um terço dos PCs do mundo está com malware, indica estudo

image_pdfimage_print

Cerca de um terço (32%) dos computadores analisados em todo o mundo estava infectados por malwares em 2012, de acordo com um relatório liberado pela PandaLabs na semana passada. No ano passado, o número de ameaças online no banco de dados da empresa de antivírus chegou a 125 milhões, sendo que a empresa estima ter encontrado 27 milhões de novas variantes de malwares no período.

O número médio de novas ameaças criadas a cada dia chega a 74 mil, sendo que os Cavalos de Troia  (Trojan) continuam representando sendo maioria. Em 2012, três em cada quatro infecções foram causados ??por Trojans (76,5%) – crescimento de dez pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Uma das razões para esse crescimento é o aumento do uso de kits de exploração, como o Black Hole, informa o relatório. Esse tipo de kit não precisa da intervenção do usuário para atacar, ele apenas explora as vulnerabilidades de sistemas e compromete automaticamente os computadores.

O segundo lugar entre “os maiores responsáveis por infecções” ficou com os vírus, representando 8%, seguido por warms, com 6%.

Países afetados

O primeiro lugar entre países com mais computadores infectados ficou com a China (55%), seguido pela Coreia do Sul (54%) e Taiwan (42%). O Brasil não entrou para o top 10 dos países com maiores infecções, mas está entre as porcentagens acima da média mundial, com 32%.

Apesar dos altos índices de infecção, a proporção de computadores comprometidos em todo o mundo diminuiu, indo de 38,5% em 2011 para 32% no ano seguinte.

Os países com o menor número de infecções são: Suécia, em primeiro lugar, com 20,2% dos PCs infectados, seguida pela Suíça (20,3%) e Noruega (21%).

Principais vetores de infecções

Vulnerabilidades em softwares serão os principais alvos de cibercriminosos em 2013, segundo o relatório. “Esse é, sem dúvida, o método preferido de infecção para comprometer os sistemas de forma transparente”, diz o estudo.

Softwares populares, como Java e os da Adobe (Acrobat Reader, Flash, etc.), serão amplamente utilizados em ataques. “Vimos como o Java, que é instalado em milhões de dispositivos, foi repetidamente comprometido e usado ativamente para infectar milhões de usuários. Em segundo lugar a Adobe, com suas múltiplas falhas de segurança, é uma das ferramentas favoritas para infectar usuários em massa, bem como para ataques direcionados”, diz o relatório.

Além disso, as redes sociais também continuam na mira de cibercriminosos. Segundo a PandaLabs, é muito fácil enganar usuários desavisados, visto que não há ferramentas de segurança voltadas para proteger as pessoas de si mesmas. Atenção especial ao Skype que, “depois de substituir o Messenger, pode se tornar um alvo para os cibercriminosos”, diz o relatório.

Outro ponto importante destacado pela PandaLabs é o uso cada vez maior de dispositivos Android. Em 2012, o sistema operacional do Google se tornou dominante e, por sua flexibilidade e o fato de não precisar de uma licença, seu uso será ampliado para além dos smartphones e tablets – sendo adotado, por exemplo, por smart TVs e outros tipos de eletrodomésticos. Essa facilidade da Internet das Coisas também abrirá as portas para possíveis ataques ainda desconhecidos.

Um terço dos PCs do mundo está com malware, indica estudo – Segurança – COMPUTERWORLD.

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!