EUA

Entendendo o que são malwares

Um dos problemas proeminentes que surgiu com a disseminação da tecnologia é o malware. Malware é um termo que abrange vírus, worms, cavalos de Tróia e bombas lógicas, bem como adware e spyware. Estes tipos de malware causaram uma série de problemas ao longo dos anos, que vão desde simples aborrecimentos a perigosos e maliciosos exploits. Softwares que se encaixam na categoria de malware, evoluíram drasticamente até incluir a capacidade de roubar senhas, informações pessoais e identidades, bem como danos hardware em alguns casos (como Stuxnet fez).

Malware é um termo novo, abrangente, mas os tipos de software que cobre estão longe de ser novos. Vírus e worms são algumas das mais antigas formas de softwares maliciosos existentes. O que mudou é o poder da tecnologia, a criatividade dos projetistas e o efeito de novos métodos de distribuição, como redes mais complexas, compartilhamento de arquivos peer-to-peer, conectados sempre à Internet e outros mecanismos que venho a tona durante os anos.

Veremos também os covert channels, cuja utilização aumentou gradualmente. Esses canais são componentes desconhecidos e não monitorados de um sistema que pode ser explorado para obter acesso ao sistema. Através do uso de um covert channel, um invasor poderá ser capaz de conseguir o acesso a um sistema sem o conhecimento do proprietário ou atrasar a detecção tanto que, no momento em que o ponto de entrada é descoberto, é tarde demais para o defensor fazer algo sobre isso. (mais…)

Estados Unidos e China se unem para prevenir ciberataques

Nos últimos tempos, os Estados Unidos e a China têm trocado acusações em relação a ataques hackers, que tinham como alvo sistemas importantes dos dois países. A situação chegou a um ponto tão delicado que ela já está sendo chamada de “Guerra Fria Virtual” — em alusão ao conflito ideológico que aconteceu entre a URSS e USA.

Contudo, esse novo tipo de conflito parece já ter um fim. Segundo informações divulgadas por fontes internacionais, nesta terça-feira (12), os Estados Unidos e a China entraram em um acordo para reduzir a quantidade de ciberataques e impedir que uma guerra virtual de fato aconteça entre as suas nações. (mais…)

China acusa EUA de ataques virtuais a sites do governo

Geng Yansheng, porta-voz do Ministério da Defesa chinês, acusou os Estados Unidos de terem causado pelo menos dois terços dos ataques registrados a sites governamentais em janeiro. De acordo com números do órgão, 144 mil falhas de segurança foram detectadas no primeiro mês de 2013, números altos que vêm se repetindo desde que as páginas entraram no ar.

De acordo com os números do governo, todos os ataques registrados tiveram origem fora do país, com 62,9% desse total partindo de IPs americanos. Yansheng também afirmou que não quer que os Estados Unidos vejam a divulgação dos dados como um ataque, e sim como um pedido de explicação, já que Pequim espera que o país venha a público para clarificações. (mais…)

6 razões para hackearem dados do Departamento de Energia Americano

Por que hackers atacariam o Departamento de Energia Americano (DOE)? A resposta mais óbvia seria para roubar segredos nucleares, já que o departamento de Administração Nacional de Segurança Nuclear (NNSA), do órgão, é responsável pela gestão e segurança do arsenal nuclear do país. De acordo com especialistas em segurança, os laboratórios da agência, onde acontece a grande parte do trabalho sigiloso, foram alvo de ataques hackers.

Mas a brecha na rede da matriz do DOE, no meio de Janeiro, que foi revelada pra os funcionários em um memorando na semana passada, pareceu resultar apenas no roubo de informações identificáveis pessoais (PII) pertencentes às centenas de funcionários e empregados da agência. Embora uma investigação relacionada pelo próprio DOE e pelo FBI continue em andamento, o memorando revelou que as descobertas, até o momento, indicam que “nenhum dado sigiloso foi comprometido”. (mais…)

EUA podem ordenar ciberataques preventivos contra nações inimigas

Um relatório secreto de políticas americanas que regem o uso de armas cibernéticas concluiu que o presidente Barack Obama tem amplo poder de ordenar ataques preventivos a qualquer país que esteja se preparando para lançar um grande ataque digital contra os EUA.

O documento é parte de um esforço contínuo da administração para desenvolver novas regras de base para o envolvimento dos EUA no ciberespaço. Ao longo das próximas semanas o governo trabalhará na aprovação de regras para como os militares podem defender ou retaliar contra ciberataques lançados por inimigos do Estado, diz uma reportagem do The New York Times.

(mais…)

EUA estudam web ultrarrápida em todo país até 2015

São Paulo – Em três anos, os Estados Unidos devem ter internet ultrarrápida em todas as cidades do país.

Esse é o desejo do governo e, principalmente, do FCC. O principal executivo da agência que regulamenta as telecomunicações dos EUA, Julius Genachoski, revelou que ampliar a web de altíssima velocidade é, hoje, o grande desafio dele.

Ele tem conversado com prestadores de serviços, empresas desenvolvedoras de tecnologias para telecomunicações, provedores de internet e até empresas pontocom para conseguir o objetivo. Ele diz que as empresas precisam ter em mente que uma rede de alta velocidade faz toda a diferença para um país, pois traz agilidade aos negócios e melhorias na educação – do ensino básico ao superior. (mais…)

Irã é acusado de promover cibertaques contra bancos dos EUA

O Irã foi novamente acusado de estar por trás de uma enorme onda de ciberataques DDoS contra bancos dos EUA e instituições financeiras nos últimos seis meses.

Ataques DDoS contra bancos são parte da rotina de negócios no setor, mas não há dúvida de que a amplitude e persistência dos ataques contra bancos nos EUA sempre foram incomuns. Cada vez mais, o que começou como uma batalha poderia agora estar se transformando na primeira guerra cibernética continuada do mundo. (mais…)

Pesquisadores dos EUA criam protocolo para descongestionar redes Wi-Fi

Protocolo WiFox, desenvolvido por pesquisadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte, pode ser facilmente incorporado aos roteadores existentes.

Três pesquisadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte desenvolveram um protocolo de software capaz de gerir melhor os volumes de dados em roteadores WiFi de alto tráfego. O trabalho “WiFox: Scaling Wi-Fi Performance for Large Audience Environments”, foi elaborado pelos estudantes de doutorado Jeongki Min e Arpit Gupta, e o professor de ciência da computação Injong Rhee.

A especificação IEEE 802.11 permite que dispositivos clientes ligados a um ponto de acesso WiFi partilhem o mesmo canal de transmissão. Mas o tráfego de downlink suplanta o tráfego de uplink, causando perdas de pacotes e saturando o ponto de acesso, explicam os pesquisadores neste paper. (mais…)

Onda de ciberataques volta a atingir grandes bancos dos EUA

Chefe da segurança interna dos EUA disse que as maiores instituições financeiras do país “estão ativamente sob ataque” de cibercriminosos.

A chefe da segurança interna dos Estados Unidos, Janet Napolitano, disse que as maiores instituições financeiras “estão ativamente sob ataque” de cibercriminosos, e um especialista disse que essa é uma tendência que contribui para o aumento dos gastos dos bancos.

Napolitano disse aos convidados de um evento de cibersegurança do The Washington Post que crackers estão roubando informações e dinheiro, mas recusou a dar mais detalhes sobre ataques. “Eu realmente não quero me aprofundar mais nesse assunto”, disse, de acordo com uma reportagem do The Hill. (mais…)

Ciberataques podem significar novo 11/9 para os EUA, alerta governo

Para Secretário de Defesa, grupos terroristas e inimigos podem usar ataques online para paralisar infraestrutura do país e até provocar acidentes graves.

Os Estados Unidos estão enfrentando uma ameaça dramaticamente crescente de ciberataques e um ataque futuro contra a infraestrutura crítica do país pode ter efeito parecido com os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, afirmou o Secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta.

Falando durante um encontro de segurança em Nova York, Panetta chamou a Internet de “campo de batalha do futuro” e explicou como pensa que o Departamento de Defesa deveria atuar no ciberespaço. (mais…)

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!