Aplicação

Testando a segurança na nuvem

Então, como você testar a segurança na nuvem? Muitas opções estão disponíveis, tanto as ferramentas manuais, como automatizadas, que você pode usar com aplicações da Web, mas existem outras opções também.

As ferramentas listadas aqui são discutidas em SearchSecurity.com e são uma pequena amostra de ferramentas normais para testes em nuvem:

SOASTA CloudTest Esta suite pode permitir quatro tipos de testes em uma única plataforma web: Testes funcionais e de desempenho móveis e testes funcionais e de desempenho baseados na web. Ele pode simular milhões de usuários concorrentes geograficamente dispersos visitando um site para testar o aplicativo sob cargas enormes. (mais…)

Vulnerabilidades em servidores e aplicações web

Aplicações e servidores Web têm muitas vulnerabilidades, mas algumas são exclusivas deste tipo de ambiente. Como sites, servidores e aplicativos são o lado da empresa que o público geralmente encontra, eles representam um alvo óbvio. Ampliando a questão, o é fato de que, ao contrário de alguns anos atrás, muitas empresas existem apenas na internet. Derrubar ou comprometer esses sistemas pode ser um golpe para o atacante e devastador para a empresa-alvo.

Web design com falhas

Uma maneira comum de explorar uma aplicação web ou site está no próprio código. Comentários e tags ocultos que são incorporados em uma página da Web pelo designer podem render informações para um invasor. Embora esses tipos de tags e informações não tenham a intenção de serem exibidos em um navegador Web, eles podem ser visualizados e analisados ??usando o recurso “Visualizar o código-fonte” presente na maioria dos navegadores.

O código fonte de uma página poderia revelar algo como: (mais…)

Entendendo as aplicações Web

Em essência, uma aplicação web é um software que é instalado em um servidor web e é projetado para responder a solicitações, processar informações, armazenar informações e dimensionar as respostas de acordo com a demanda e, em muitos casos, é distribuído em vários sistemas ou servidores.

Ao contrário de alguns anos atrás, as aplicações web vêm em três variações:

  1. Baseado em Navegador – Incluem código que pode ter sido parcialmente processado no servidor, mas é executado no próprio navegador Web. Tal aplicação tem a capacidade de acessar dados armazenados em um servidor, bem como no sistema local ou ambos, dependendo do design;
  2. Baseados no cliente – São essencialmente semelhantes às aplicações baseadas em navegador, mas em vez de serem executados dentro do navegador, são executados como aplicação própria. Aplicações que exigem que sejam instaladas do lado do cliente se encaixam nesta categoria;
  3. Aplicativos móveis – São, de longe, o tipo mais comum encontrado hoje em dia. Para ser incluído nesta categoria o aplicativo normalmente é executado em um sistema operacional móvel, como aqueles executados em smartphones e tablets, principalmente Android do Google ou iOS da Apple;

Então, o que todos esses tipos têm em comum? Cada um deles, tem alguma capacidade de processar informações em um servidor antes de fornecer as informações para o lado do cliente. (mais…)

SQL Injection (SQLi): Identificando o BD e extraindo dados com UNION

A maioria das técnicas demonstradas na primeira postagem sobre SQLi são efetivas contra todas as plataformas de banco de dados comuns e qualquer divergência podem ser ajustadas facilmente de acordo com a sintaxe. Entretanto, quando começamos a ver técnicas mais avançadas de exploração, as diferenças entre as plataformas começam a ser mais significante e você precisará ampliar seu conhecimento sobre o tipo de banco de dados que está sendo manipulado.

Você já viu como extrair a string de versão da maioria dos tipos de BD. Mesmo que você não consiga por algum motivo, normalmente é possível obter por outros métodos. Um dos mais viáveis é a forma que o BD concatena strings. Em uma consulta onde você controla a string de dados, você pode fornecer um valor particular em uma consulta e então testar diferentes métodos de concatenação para produzir uma string. Quando o mesmo resultado é obtido, você provavelmente identificou o tipo de BD que está sendo usado. Os próximos exemplos mostra como string pode ser construída para a maioria dos tipos de BD: (mais…)

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!