Será que o seu provedor de Internet está espionando você?

image_pdfimage_print

Arcticsid perguntou no fórum Answer Line se o seu ISP pode “sentar… assistir a uma tela, e ver tudo o que você está fazendo em determinado momento?”

Não é bem assim, mas ele chegou assustadoramente perto. Provedores de serviços de Internet (ISP) rastreiam endereços de IP que você entra em contato, o que efetivamente significa que eles sabem os sites que você está visitando. Eles também podem ler qualquer coisa não-criptografada que você enviar por meio da Internet. Agora, se eles realmente fazem isso é uma questão em aberto.

De acordo com um especialista em tecnologia da Electronic Frontier Foundation, Dan Auerbach, o que eles mais coletam são metadados – coisas como endereços de IP e números de porta. Com um pouco de trabalho, esta informação pode dizer a eles com quem você está se comunicando e ajudá-los a ter um palpite sobre se você visitou alguma página na web ou enviou algum e-mail. Como Auerbach disse em uma conversa por telefone, eles estão acompanhando “para quem você está enviando e-mail, mas não o conteúdo.”

E quanto ao conteúdo? Eles podem ver quais sites você visitou e o que você escreveu em que o e-mail? Sim, eles podem, se quiserem. Mas isso significa um monte de trabalho com pouco retorno para eles. E há limites legais. Por exemplo, nos Estados Unidos, os ISP só podem compartilhar conteúdo com o governo (Eu vou deixar você decidir se isso é reconfortante). Por outro lado, não existem tais restrições sobre com quem eles podem compartilhar seus metadados.

Há “uma porção de questões em torno do que eles realmente fazem”, diz Auerbach. “É difícil saber o que um determinado ISP está fazendo com os dados.” Políticas de privacidade, é claro, são raramente escritas para serem claras e compreensíveis.

Por quanto tempo eles mantêm a informação? “Entre seis meses e dois anos”, estima Auerbach.

E como você pode se proteger? Primeiro, abrace qualquer tecnologia que criptografa seus dados enquanto você navega pela Internet. Se você precisa de privacidade, utilize o Secure Socket Layer (SSL – páginas da web seguras com URLs que começam com https) ou de uma rede privada virtual (VPN).

Se você for realmente paranóico, você pode querer considerar o Tor, um programa e serviço gratuitos que torna muito mais difícil controlar por onde você anda online. Para mais informações, consulte a Tor Network Cloaks Your Browsing From Prying Eyes (ou Rede Tor disfarça sua navegação de olhos curiosos, em tradução livre).

Fonte: IDG Now!

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!