Saiba como tonar o treinamento de TI da sua empresa mais eficiente

image_pdfimage_print

Diante de orçamentos mais apertados para treinamento, muitos líderes de TI estão procurando novas maneiras de desenvolver suas forças de trabalho. No entanto, muitas empresas estão percebendo que “os métodos de treinamento antigos simplesmente não funcionam mais”, disse Tom Graunke, fundador e chefe do contador de histórias do Stormwind, empresa de treinamento de TI baseada no Arizona. Esqueça os cursos que se arrastam por dias. De acordo com Graunke, existem quatro formas das empresas sobrecarregarem seus módulos de treinamento em TI para um maior impacto.

1.Deixe apenas o que é de interesse.

O nome do jogo deve ser formação em TI, e não tortura. “Tradicionalmente, o modelo de treinamento de TI tem exigido dos funcionários oito horas por dia de aulas de tecnologias da Cisco ou Microsoft”, disse Graunke. “É um entorpecimento mental. As pessoas não têm tempo para uma introdução de 45 minutos. Basta ir direto ao ponto.”

Graunke recomenda às empresas reduzir gradualmente o seu conteúdo de treinamento em até 75%. Quer ensinar aos funcionários como solucionar um roteador Cisco ou instalar patches de software, então as “partes desinteressantes dos cursos devem ser cortadas, deixe apenas o que as pessoas precisam saber. Formação em TI, em geral, tem uma tendência a ser de 180 capítulos em um livro de 1.500 páginas. Em vez disso, ele deve ser sobre o que um profissional de TI precisa saber para instalar este equipamento agora -. não sobre a aprendizagem dos 17 comandos que nunca podem ser usados.”

Destilar as lições e entregar em intervalos curtos promete que os funcionários vão consumir conhecimento a uma taxa superior e mantê-lo mais facilmente. Outros materiais de aprendizagem podem então ser enviados online ou através de canais interativos com um instrutor, garante Graunke.

2) Pense como Spielberg.

Está tendo problemas para ver através de seu para-brisa do carro? De acordo com Graunke, um número crescente de pessoas “vão ao Youtube para aprender a trocar os limpadores de seu carro” e realizar outras tarefas domésticas bastante simples, mas não tradicional. Com formação em TI não deve ser diferente.

“Tudo é tão visual que se você tomar o conteúdo do treinamento e cercá-lo por multimídia, a partir de uma perspectiva da aprendizagem, uma empresa pode reduzir o tempo de treinamento por mais de 50%”, disse Graunke. Isso porque é mais fácil captar a atenção de profissionais de TI em rápido movimento do conteúdo, qualidade de vídeo e efeitos divertidos.

Felizmente, para os líderes de TI, Graunke disse que o treinamento tem como base “a criação de frases de aprendizagem visuais. Não apenas uma frase para explicar algo, mas uma sentença de aprendizagem visual, que conta a sua história com uma foto.”

3) Crie vencedores.

Outra maneira de manter o pessoal interessado é a gameficação – a arte de criar pontuação social para atividades de formação, como quem pode completar um laboratório o mais rápido. “O vídeo do jogo Diablo 3 vendeu nove milhões de cópias em 48 horas”, disse Graunke. “Essa mentalidade fundamental de marcar e competir já está embutida dentro da indústria de TI. Por que não aproveitar isso? Agora o aprendizado deixa de ser doloroso para ser uma fonte de orgulho. Profissionais de TI estão se desafiando para serem melhores e eles estão fazendo isso através da formação que torna tudo mais divertido. ”

4) Mantenha o lado humano.

Apesar de seus benefícios, Graunke disse que líderes de TI precisam pensar duas vezes antes de substituir instrutores ao vivo com os cursores e teclados. “Algo deu terrivelmente errado com o e-learning. É um fracasso total”, disse ele. “É barato e é a qualquer hora e em qualquer lugar, mas você pode citar a última vez que fez algo em e-learning que você pensou que era incrível? O que está faltando é o elemento humano.”

De acordo com Graunke, a presença de um instrutor realmente aumenta a habilidade do aluno para aprender e absorver o material. Quer se trate de um chat ao vivo ou uma sala de aula interativa, sendo capaz de se conectar com a vida e respirando o ser humano ajuda a “ascensão de retenção de conhecimento de forma dramática”, disse ele.

Fonte: Information Week

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!