Quer pedir um aumento de salário? Veja o que deve ser avaliado

image_pdfimage_print

Atire a primeira pedra quem nunca pensou em ganhar mais. A vontade de ter um aumento salarial é motivada por vários fatores, mas será que todos justificam um pedido de aumento?

Para a professora do Núcleo de Desenvolvimento de Pessoas da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) e sócia-diretora da FM Consultores, Fátima Motta, a resposta é não.

Segunda ela, apenas um motivo explica um aumento salarial: se o profissional estiver desempenhando mais competências do que foi combinado na contratação.

“Não adianta dizer que faz o trabalho direito, que cumpre o que é pedido, que entrega as atividades na data certa e que não chega atrasado. Isso é obrigação do profissional. A empresa já esperava isso dele, ele não está fazendo nada demais”.

Conversa de gente grande

A especialista explica que, se o profissional estiver agregando valor para a empresa, o gestor será o primeiro a reconhecer isso e oferecerá novos desafios, um novo cargo e, consequentemente, um aumento salarial.

Se isso não acontecer, ela aconselha que o profissional chame seu líder para uma conversa. Essa conversa não deve ser baseada no pedido de aumento, mas, sim, em um pedido de feedback. A ideia é que o profissional pergunte ao chefe o que ele acha do seu desempenho.“É uma conversa adulta e madura, nada parecido com: eu acho que eu mereço um aumento”.

A opinião é compartilhada pela gerente da Cia de Talentos Carreiras, Bruna Dias. Ela afirma que o profissional deve questionar o que a empresa espera dele. Com a resposta, o gestor apontará qual caminho o colaborador deve seguir para conseguir o que almeja.

“Cada cargo oferece um ciclo de aprendizado. A pessoa deve pensar em seu cargo. Será que ele aprendeu o máximo que pode?”, questiona Bruna.

Por fim, a gerente aponta que o profissional não deve citar que alguns colegas ganham mais. Bruna explica que, antes de usar este tipo de argumento, a pessoa deve avaliar quais são as responsabilidades dos colegas. Vale destacar que, provavelmente, o outro ganha mais porque tem mais responsabilidades.

Fonte: Infomoney

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!