Quer pedir um aumento de salário? Veja o que deve ser avaliado

Atire a primeira pedra quem nunca pensou em ganhar mais. A vontade de ter um aumento salarial é motivada por vários fatores, mas será que todos justificam um pedido de aumento?

Para a professora do Núcleo de Desenvolvimento de Pessoas da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) e sócia-diretora da FM Consultores, Fátima Motta, a resposta é não.

Segunda ela, apenas um motivo explica um aumento salarial: se o profissional estiver desempenhando mais competências do que foi combinado na contratação.

“Não adianta dizer que faz o trabalho direito, que cumpre o que é pedido, que entrega as atividades na data certa e que não chega atrasado. Isso é obrigação do profissional. A empresa já esperava isso dele, ele não está fazendo nada demais”.

Conversa de gente grande

A especialista explica que, se o profissional estiver agregando valor para a empresa, o gestor será o primeiro a reconhecer isso e oferecerá novos desafios, um novo cargo e, consequentemente, um aumento salarial.

Se isso não acontecer, ela aconselha que o profissional chame seu líder para uma conversa. Essa conversa não deve ser baseada no pedido de aumento, mas, sim, em um pedido de feedback. A ideia é que o profissional pergunte ao chefe o que ele acha do seu desempenho.“É uma conversa adulta e madura, nada parecido com: eu acho que eu mereço um aumento”.

A opinião é compartilhada pela gerente da Cia de Talentos Carreiras, Bruna Dias. Ela afirma que o profissional deve questionar o que a empresa espera dele. Com a resposta, o gestor apontará qual caminho o colaborador deve seguir para conseguir o que almeja.

“Cada cargo oferece um ciclo de aprendizado. A pessoa deve pensar em seu cargo. Será que ele aprendeu o máximo que pode?”, questiona Bruna.

Por fim, a gerente aponta que o profissional não deve citar que alguns colegas ganham mais. Bruna explica que, antes de usar este tipo de argumento, a pessoa deve avaliar quais são as responsabilidades dos colegas. Vale destacar que, provavelmente, o outro ganha mais porque tem mais responsabilidades.

Fonte: Infomoney

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL).
Certificações que possuo: CompTIA Security+, EXIN EHF, MCSO, MCRM, ITIL v3.
Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão e Governança de TI, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!