Profissionais de TI do Brasil são os que ganham mais na AL

image_pdfimage_print

CIOs e analistas seniores de sistemas que atuam no País têm remunerações melhores que seus pares do México, Argentina e Chile.

O diretores de TI e analistas seniores de sistemas do Brasil recebem salários melhores que seus pares da América Latina. A conclusão vem de um estudo realizado pela Michael Page, empresa global de recrutamento executivo, que comparou a remuneração de executivos brasileiros com os da região e constatou que, em 72% dos cargos analisados no País se ganha mais.

Foram analisados ao todo 29 cargos entre médias e grandes empresas de diversos segmentos no Brasil, Argentina, Chile e México. Na área de TI, a consultoria comparou os salários de duas posições: CIO e analista sênior de negócios.

No caso do CIO, o executivo brasileiro ganha entre 9 mil reais a 20 mil reais, dependendo da sua experiência e porte da empresa onde trabalha. No México, o profissional que ocupa o mesmo posto recebe entre 8 mil reais e 15 mil reais. O mercado argentino paga para esse cargo entre 6,5 mil reais e 8,5 mil reais; enquanto que no Chile esse talento tem remuneração entre 8 mil reais e 14 mil reais.

Na comparação dos ganhos do analista sênior de sistemas os salários são os seguintes: Brasil paga entre 3,5 mil reais e 6 mil reais; México entre 6 mil reais e 9 mil reais; Argentina entre 4,5 mil reais e 5,5 mil reais; Chile entre 4,5 mil reais e 7,5 mil reais.

De acordo com o diretor executivo do grupo Michael Page no Brasil, Marcelo De Lucca, a América Latina representa hoje cerca de 15% do faturamento do grupo no mundo e o Brasil vem alcançando cada vez mais posição de destaque. “O crescimento dos últimos anos associados ao peso da nossa economia contribuiu para esse cenário”, explica.

A pesquisa explicita algumas distorções salariais severas entre o Brasil e demais países que refletem o momento do País. Áreas como vendas, engenharia, incorporação e financeira pagam muito acima da média no Brasil em relação aos demais países.

Ainda de acordo com De Lucca, em alguns setores as diferenças salariais chegam a ser agressivas. O boom do setor imobiliário, por exemplo, impactou tanto na remuneração dos executivos brasileiros que um diretor no país chega a ganhar até 91% a mais do que o segundo colocado. “No caso do mercado de Oil & Gas as diferenças salariais ultrapassam 100%”, conclui.

Fonte: Computer World

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!