Pode escrever: redação veio para ficar

image_pdfimage_print

A redação é uma tendência nos concursos. Alguns, como os da Polícia Federal, adotam esta modalidade há muito tempo. Outros passaram a incluí-la, como o de técnico bancário novo da Caixa Econômica Federal, e questões discursivas, como em provas da área fiscal.

O motivo desta tendência é que os dirigentes dos órgãos públicos perceberam que além de conhecimentos técnicos e entender os textos corretamente, o candidato deve ter a habilidade de expressar-se bem na forma escrita.

Uma preocupação adicional do candidato é que, as redações costumam ser eliminatórias, ou seja, se o candidato não conseguir uma nota mínima, estará eliminado no concurso independente das notas em outras disciplinas.

Com relação à redação há várias regras e técnicas que devem ser observadas. Seguem algumas dicas:

– o primeiro passo é analisar com muito cuidado os critérios de correção do edital do concurso (se ainda não foi divulgado, poderá utilizar editais anteriores).

– o tempo para fazer a redação dependerá do tema abordado e da facilidade do candidato em escrever. Uma boa sugestão é reservar de 20 a 30 minutos da prova.

– o momento da prova para fazer a redação também deve ser escolhido com cuidado. Se começar pela redação, há o risco de demorar mais tempo do que deveria. Assim, a sugestão é que, incialmente, resolva as questões objetivas mais fáceis e mais curtas de toda a prova. Normalmente, levará metade do tempo da prova até esta fase. A seguir, faça a redação. Depois, resolva as questões mais longas, trabalhosas ou difíceis. Deixar a redação para o final não costuma ser eficiente, pois o candidato estará cansado.

– usar o rascunho é muito importante, pois dará liberdade em aprimorar o texto e corrigir eventuais erros. A apresentação da redação também é importante, assim, convém passar a limpo.

– deverá ser feita com tipo de caneta e a cor estipulada no edital sob o risco de tirar nota zero. Também deverá observar o número de linhas máximo e mínimo para não ser prejudicado.

– o candidato não pode assinalar e/ou apresentar qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a sua identificação.

– é fundamental que a redação trate do tema proposto. Como nos vestibulares, redações que fujam ao tema podem ter nota zero.

– a coerência é um dos itens mais avaliados em uma redação, relacionando o início, o desenvolvimento e a conclusão;

– não use gírias e clichês. Palavras estrangeiras deverão ser escritas entre aspas.

– o hábito da leitura ajuda muito para o candidato aprimorar o seu texto.

– quanto mais praticar, maior será a facilidade e menos tempo o candidato levará para escrever.

– procure profissionais especializados para corrigir as suas redações.

Com relação às questões discursivas, o candidato além do conteúdo exigido, deverá preocupar-se com uma resposta clara, objetiva dentro das regras gramaticais. Uma boa forma de treino é responder questões objetivas da forma escrita.

Bons estudos e sucesso na carreira pública.

Autor: Carlos Alberto De Lucca é professor e desde 1979 prepara candidatos para concursos públicos. cdelucca@uol.com.br.

Fonte: JC Concursos

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Certificações que possuo: CompTIA Security+, EXIN EHF, MCSO, MCRM, ITIL v3. Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão e Governança de TI, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!