Malware sequestra o PC e pede resgate

image_pdfimage_print

Uma nova onda de software nocivo bloqueia um computador e exige pagamento para libertá-lo. Tentando extorquir dinheiro dos usuários, alega que estes cometeram uma violação de direitos de autor, e devem pagar ucerta quantia por isso.

A praga foi detectada por Roman Hussy, autor do blog abuse.ch. e já teria infectado máquinas no Reino Unido, Suíça, Alemanha, Áustria, França e Holanda.

Hussy publicou uma imagem do aviso apresentada aos usuários do Reino Unido (foto). Ela exibe os logotipos da Performing Right Society (PRS), uma organização de cobrança de “royalties”, e também da Polícia Metropolitana.

O aviso alega falsamente que um material protegido por direitos de autor foi encontrado no computador e que o mesmo foi movido para uma pasta cifrada “para evitar mais danos”. “Para desbloquear o seu computador e evitar outras consequências legais, o usuário deve pagar uma taxa de libertação de 50 libras (80 dólares)”, lê-se na comunicação.

O resgate pode ser pago com um cartão Paysafecard, título de pagamento pré-pago disponibilizado em toda a Europa e nos Estados Unidos. Segundo Hussy os autores do golpe, incluíram no aviso informações sobre a forma como as potenciais vítimas poderiam comprar um Paysafecard.

O tipo de malware, conhecido como “ransomware”, não é novo, mas os métodos de manipulação mudam com frequência. Hussy revelou no início de março casos de um ransomware semelhante que advertia para a existência de pornografia infantil nos computadores, exigindo uma multa de 100 libras.

Nesta última versão, os dispositivos podem ser infectados com o ransomware se o usuário visitar um site preparado para implantar o kit de exploração de vulnerabilidades Blackhole.

A suspeita é a de que os autores do esquema são da Alemanha devido às palavras alemãs presentes nos endereços, ligados às versões do malware e do esquema.

Além de bloquear os computadores, o malware contém um componente chamado Bot Aldi, capaz de roubar dados de autenticação de contas bancárias, e executar ataques de DDoS, segundo Hussy.

Fonte: IDG Now!

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!