Guia de segurança nas redes sociais do CERT.br: para ler e compartilhar

image_pdfimage_print

Quando o assunto é segurança na internet, há quem pense imediatamente em complexos sistemas de autenticação, configuração de firewalls e afins. Mas, assim como quando saímos de carro por aí, a segurança no “mundo on-line” está mais associada ao nosso comportamento do que a dispositivos de proteção. Daí a importância de parar um pouco e se informar a respeito.

Neste sentido, o pessoal do CERT.br  (Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil) tem feito um trabalho louvável: o grupo, que é ligado ao CGI.br (Comitê Gestor da Internet no Brasil), disponibiliza um cartilha de segurança na internet que é bastante ampla, de fácil compreensão e atualizada constantemente.  Nesta quinta-feira (30/08/2012), por exemplo, eu estive na sede da entidade para conversar sobre um fascículo de segurança em redes sociais que começou a ser divulgado recentemente.

É importante refletir sobre o assunto porque, muitas vezes, não percebemos que o nosso comportamento em serviços como Facebook ou Twitter  podem trazer problemas dos mais diversos tipos. Imagine, por exemplo, que você tenha postado uma crítica à empresa em que trabalha; por mais que você tenha razão, este registro poderá ser acessado por seus superiores (afinal, chefes também sabem usar a internet), que certamente ficarão descontentes em ver um problema interno ser tratado publicamente.

Outro exemplo é publicar uma foto de um amigo sem que ele tenha autorizado: a situação registrada na imagem até pode ser engraçada, mas quando se torna pública, tem grandes chances de se transformar em constrangimento para a pessoa, podendo inclusive prejudicar o seu trabalho ou os seus estudos.

E há ainda problemas mais críticos: em várias partes do mundo, inclusive no Brasil, sabe-se de casos de pessoas que foram sequestradas, roubadas ou vítimas de outros crimes porque divulgaram em redes sociais informações que facilitaram a sua localização, como foto da frente de sua casa, chek-ins do Foursquare em lugares menos movimentados, roteiros completos de viagens, enfim.

Por isso, reserve alguns minutos para dar uma olhada na cartilha do CERT.br ou ao menos no fascículo sobre redes sociais. Como eu já disse, o material é amplo e de fácil compreensão. Além disso, seu conteúdo foi elaborado por pessoas que realmente entendem do assunto:

O melhor de tudo é que o material é gratuito e pode ser distribuído livremente (está sob licença Creative Commons). Assim, escolas podem imprimir o conteúdo e fornecer cópias aos alunos; empresas podem criar palestras com base no material para instruir funcionários; um jornal de bairro pode publicar as dicas para orientar os leitores; ou você pode simplesmente ler a cartilha e compartilhar o link com os seus amigos.

Fonte: InfoWester

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!