Funções do “que” e do “se”

Há muitas dúvidas quanto ao emprego do que e do se, pois podem ser empregados em várias funções morfossintáticas. Portanto, iremos analisar cada termo individualmente, a fim de que as análises se tornem mais claras.

Funções do QUE

1 – Substantivo

Quando equivale a alguma coisa virá sempre antecedida de artigo ou outro determinante, e receberá acento por ser monossílabo tônico terminado em e. Como substantivo, designa também a 16ª letra de nosso alfabeto. Quando a palavra que for substantivo, exercerá as funções sintáticas próprias dessa classe de palavra (sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo, etc.)
EX.: Há nisso um quê de mistério. (=alguma coisa)
Há paixões que dominam os impérios.  (Sujeito)
Sofro as penas que eu próprio busquei… (Objeto direto)
A pessoa a que me referi, chegou. (Objeto indireto)
“Não conheço que fui no que hoje sou.” (Predicativo)
Que horas são? (Adjunto adnominal)
O projeto a que sou favorável é este e não aquele. (Complemento nominal)
Esta é a escola em que estudo. (Adjunto adverbial)
Encontrou-se a arma por que ela foi ferida. (Agente da passiva)

2- Pronome

  • Adjetivo interrogativo:
    EX.: Que matérias você perdeu? (= quais)
  • Substantivo interrogativo:
    EX.:  O que viste por onde viajaste? (= que coisa)
  • Adjetivo indefinido:
    EX.: Veja que horas são. (= quantas)
  •  Substantivo indefinido:
    EX.: Não compreendo por que não me escutas. (= que motivo)
  • Relativo:
    EX.: Os amigos que me restam são de data recente.

3 – Preposição (de)

EX.: Ele tem que aparecer para conversar comigo.
Doença é pior que todas as coisas.

4 – Advérbio de intensidade

Refere-se sempre a um adjetivo.
EX.: Que maravilhoso é o amor! (=quão)
Que difícil foi a conversa! (=quão)

5 – Interjeição

EX.: Quê! Foi roubado!

6 – Partícula expletiva (ou de realce)

EX.: Quase que ela perdeu.

O último que chegar que feche a porta.

7 – Conjunção subordinativa

  • Integrante:
    EX.: É justo que ele pague pelo que fez.
  • Final:
    EX.: Faço votos que seja feliz.
  • Causal:
    EX.: “Trevas, caí, que o dia é morto.”
    “Antes que cases, olha o que fazes, que não é nó que desates.”
  •  Comparativa:
    EX.: Os homens são menos detalhistas que as mulheres.
  • Temporal:
    EX.: “Porém já cinco sóis eram passados que dali nos partíramos.”
  • Consecutiva:
    EX.: Estudou tanto, que acabou perdendo a hora
  • Concessiva:
    EX.: Muito que ele come, nunca engorda.

8 – Conjunção coordenativa

  • Aditiva:
    EX.: “Maravilha feita de Deus que não de humilde braço.”
  •  Explicativa:
    EX.: Não saiam, que vai chover.
  • Adversativa:
    EX.: Façam eles, que não eu.
  • Alternativa:
    EX.: Que permitam, que não permitam, irei vê-la.

Funções do SE

Funções morfológicas

1 – Conjunção subordinativa

  • Integrante:
    EX.: Não sei se vocês já leram Guimarães Rosa.
  • Condicional:
    EX.: Se você pretende ser universitário, estude.
  • Concessiva:
    EX.: “Se não teceu o Próprio enxoval, ganhou-o, fio a fio, no tear.”
  • Causal:
    EX.: “Se a morte sabes dar com fogo e ferro,
    sabe também dar vida com clemência.”

2 – Conjunção coordenativa alternativa

EX.: Se há lágrimas, se há risos, o amor brilha nos seus lábios.

3 – Pronome (ou partícula) apassivador

EX.: Nota-se que eles estão animados.

4 – Partícula (ou índice) de indeterminação do sujeito

EX.: Vive-se brigando nesta casa.

5- Parte integrante de verbo

EX.: Ela se arrependeu de ter esperado tanto.

6 – Partícula expletiva ou de realce (junto a verbos intransitivos)

EX.: Passam-se os anos e nada mudou.

7 – Pronome

  • Reflexivo:
    EX.: Ele feriu-se gravemente.
  • Recíproco:
    EX.: Abraçaram-se, mas já era tarde.

Funções sintáticas

Como pronome, o se pode exercer as seguintes funções sintáticas de objeto direto, objeto indireto e sujeito de uma oração definitiva.

EX.: Ela se trancou por dentro, calada, esperando. (Objeto direto)
“O chefe reservou-se um objetivo ambicioso: a chaminé.” (Objeto indireto)
“Sofia deixou-se estar à janela.” (Sujeito)

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

2 comments

  1. legal o conteudo,mas tira esta curtir da lateral da pagina]

  2. mylenaNo Gravatar disse:

    Carambas me ajudou demais meu trabalho inteirinho esta aqui obrigada .

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: