Desenvolvimento de software: nova metodologia promete economia de 50% em projetos

image_pdfimage_print

A empresa norte-americana iRise criou um método para desenvolvimento de software que pode economizar em 50% o tempo, e o dinheiro, investidos nesse tipo de projeto. Em vez de seguir os passos comuns – fazer uma reunião com o cliente, filtrar as informações principais e enviar ao programador o desenho a ser produzido -, por meio de um processo interativo de workshop, uma versão demo do projeto já sai das primeiras reuniões com todas as funcionalidades inseridas.

Na visão da companhia, o problema é que palavras não são suficientes para descrever o que as empresas querem. Pela forma convencional, empresários apresentam, da melhor forma que podem, o sistema que veem em suas mentes, e um analista captura e documenta o que ouve. Ao fazer isso, ele filtra as palavras por meio de sua visão de mundo e passa para o desenvolvedor, que irá então reinterpretar o que foi lhe passado de acordo com seu entendimento.

Meses ou anos depois, o sistema que “a empresa queria” é finalmente entregue. Mas além de estar atrasado, não se parece nada com o que foi pedido. Em tais situações, poderíamos então apresentar maquetes ou diagramas, mas a empresa apresentou, recentemente, uma ideia que promete ser melhor que esse sistema atual. Se toda a abordagem está errada, comecemos do zero.

Na nova abordagem, em vez de conversar sobre o sistema, um analista chegaria com um workshop do projeto. Com o software, o profissional tem a capacidade de criar um protótipo de simulação para o sistema conforme o empresário descreve o que quer. Todas as funções são estabelecidas durante o workshop. O empresário consegue “ver” como seu sistema vai ficar já na primeira reunião.

Quando trabalha com um novo cliente (os clientes da iRise incluem a UPS, General Motors e BP), o consultor pede dois dias de workshop com uma das equipes da empresa e usando uma abordagem de simulação rápida, passa por seis interações do novo software nesses dois dias. Ao final do tempo estipulado, a empresa tem um simulador funcionando que pode ser entregue para os desenvolvedores de TI, com a instrução simples de “construa-me um desses, por favor”.

Claro que estou simplificando bastante, mas a mudança é profunda. Na verdade, o próximo passo da iRise é dar apoio à geração automática de código para o aplicativo final – não 100%, mas o suficiente para dar aos desenvolvedores um bom ponto de partida. E com o crescimento do uso do Apple OS X e iOS nas empresas, a organização recentemente estendeu a simulação de software para o desenvolvimento de aplicativos móveis da Apple.

O simulador de software é fácil ao ponto de pessoas sem conhecimento técnico poderem usá-lo e a economia de tempo e dinheiro é gigantesca. A empresa afirma a redução no custo de um projeto chega a 50%, com a mesma economia de tempo. E tão importante quanto, é facilitar a colaboração entre profissionais de TI e empresários. A iRise ajuda com a crescente demanda para aplicativos corporativos que se parecem com de consumidores: mais simples e fáceis de usar.

O software é caro – e geralmente voltado para grandes empresas. Mas se a sua está focada em desenvolver software, aconselho que dê uma olhada nessa maneira diferente de “captura as exigências do negócio”.

Tradução: Alba Milena, especial para o IT Web | Revisão: Thaís Sabatini

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!