Concordância Verbal

image_pdfimage_print

Em gramática o nome de concordância refere-se à circunstância de um adjetivo variar em gênero e número de acordo com o substantivo a que se refere (concordância nominal) e à de um verbo variar em número e pessoa de acordo com o seu sujeito (concordância verbal).

CONCORDÂNCIA VERBAL diz respeito ao verbo em relação ao sujeito, o primeiro deve concordar em número (singular ou plural) e pessoa (1ª, 2ª, 3ª) com núcleo do segundo.

Ex.: A coreógrafa escolheu seu grupo.
As coreógrafas escolheram seus grupos.

Casos especiais:

Sujeito Simples

  1. Em regra geral, o verbo concorda com o núcleo em número e pessoa.
    Ex.: O trabalho cabe aos homens.
  2. Sujeito coletivo, o verbo fica na terceira pessoa do singular.
    Ex.: A multidão, apavorada, saiu aos gritos.
  3. Sujeito coletivo seguido de adjunto adnominal no plural, o verbo pode ficar no singular ou no plural.
    Ex.: Uma multidão de pessoas saiu aos gritos.
    Uma multidão de pessoas saíram aos gritos.
  4.  Sujeito representado por expressões partitivas como “a maioria de, a maior parte de, a metade de, uma porção de, entre outras”, o verbo concorda tanto com o núcleo ficando no singular quanto com o substantivo ficando no plural.
    Ex.: A maioria dos alunos resolveu ficar.
    A maioria dos alunos resolveram ficar.
  5. Caso esteja com a expressão “mais de um” utiliza-se o verbo no singular.
    Ex.: Mais de um aluno reprovou no teste final.
  6. Caso esteja com a expressão “mais de um” repetida, utiliza-se o verbo no plural.
    Ex.: Mais de um aluno, mais de um professor contribuíram na campanha de doação de alimentos.
  7. Sujeito tiver a expressão “um dos que”, o verbo fica no plural.
    Ex.: Este aluno foi um dos que tiraram as melhores notas no vestibular.
  8. Casos com locuções pronominais como “algum de nós, qual de vós, alguns de nós”, entre outras, faz-se necessário prestar atenção aos seguintes casos:
    1. Se o primeiro pronome estiver no plural, o verbo poderá concordar com ele, como poderá concordar com o pronome pessoal.
      Ex.: Alguns de nós o receberemos. / Alguns de nós o receberão.
    2. Quando o primeiro pronome da locução estiver expresso no singular, o verbo poderá ficar no singular.
      Ex.: Algum de nós o receberá.
  9. Quando a palavra “quem” representar o sujeito, o verbo permanecerá na terceira pessoa do singular ou poderá concordar com o antecedente desse pronome.
    Ex.: Fomos nós quem contou toda a verdade para ela.
    Fomos nós quem contamos toda a verdade para ela.
  10. Em casos que o sujeito aparece realçado pelo “que”, o verbo concordará com o termo que antecede essa palavra.
    Ex.: Nesta empresa somos nós que tomamos as decisões.
    Sou eu que decido tudo.
  11. Nos sujeitos que sejam representados por expressões que indiquem porcentagens, o verbo concordará com o numeral ou com o substantivo a que se refere a porcentagem.
    Ex.:  50% dos funcionários aprovaram a decisão da diretoria.
    50% do eleitorado apoiou a decisão.
    1. Caso o verbo venha anteposto, ele concordará com o numeral.
      Ex.: Aprovaram a decisão da diretoria 50% dos funcionários.
    2. Em casos relativos a 1%, o verbo fica no singular.
      Ex.: 1% dos funcionários aprovou a decisão da diretoria.
    3.  Caso o numeral esteja acompanhado de um determinante, o verbo ficará no plural.
      Ex.: Os 50% dos funcionários aprovaram a decisão da diretoria.
  12. Sujeitos representados por pronomes de tratamento, o verbo ficará na terceira pessoa do singular ou do plural.
    Ex.: Vossas Majestades gostaram das homenagens.
    Vossa Majestade gostou da homenagem.
  13. Casos relativos a sujeito representado por substantivo próprio no plural se encontram relacionados a alguns aspectos que os determinam:
    1. Diante de nomes de obras no plural, seguidos de verbo ser, este permanece no singular, contato que o predicativo também esteja no singular.
      Ex.: Memórias póstumas de Brás Cubas é uma criação de Machado de Assis.
    2. Nos casos de artigo expresso no plural, o verbo também permanece no plural.
      Ex.: Os Estados Unidos são uma potência mundial.
    3. Casos em que o artigo figura no singular ou que ele nem aparece, o verbo permanece no singular.
      Ex.: Estados Unidos é uma potência mundial.

Sujeito Composto

  1. Em regra geral, o verbo vai para o plural.
    Ex.: João e Maria foram passear no bosque.
  2. Quando os núclos do sujeito são constituídos de pessoas gramaticais diferentes o verbo ficará no plural seguindo-se a prioridade de 1ª, 2ª e 3ª pessoa.
    Ex.: Eu (1ª singular) e ele (3ª singular) nos tornaremos (1ª plural) amigos.
    Tu (2ª singular) e ele (3ª singular) vos tornareis (2ª plural) / se tornarão (3ª plural, mais comum) amigos.
  3. Quando o sujeito está posposto, o verbo concorda com o mais próximo ou fica no plural concordando com ambos.
    Ex.: Chegou(aram) ontem o técnico e os jogadores.
  4. Quando o sujeito está anteposto, o verbo fica no plural.
    Ex.: O técnico e os jogadores chegaram ontem a São Paulo.
  5. Com núcleos em correlação, verbo concorda com o mais próximo ou fica no plural.
    Ex.: O cientista assim como o médico pesquisa(m) a causa do mal.
  6. Ligado por OU, o verbo no singular caso tenha valor de exclusão ou plural dependendo se tiver valor de inclusão.
    Ex.: Valdir ou Leão será o goleiro titular. (exclusão)
    A poluição sonora ou poluição do ar são nocivos à saúde. (inclusão, adição)
  7. Ligado por COM, o verbo concorda com o antecedente do COM ou vai para o plural.
    Ex.: O professor, com os alunos, resolveu o problema.
    O maestro com a orquestra executaram a peça clássica.
  8. Ligado por NEM, o verbo no plural e, às vezes, no singular.
    Ex.: Nem Paulo nem Maria conquistaram a simpatia de Catifunda.
  9. Quando os sujeitos forem resumidos por “nada, tudo, ninguém” o verbo concordará com o aposto resumidor.
    Ex.: Os pedidos, as súplicas, o desespero, nada o comoveu.
  10. Quando os sujeitos estiverem ligados pelas séries correlativas (tanto… como/ assim… como/ não só… mas também, etc.) o que comumente ocorre é o verbo ir para o plural, embora o singular seja aceitável se os núcleos estiverem no singular.
    Ex.: Tanto Erundina quanto Collor perderam as eleições municipais em São Paulo.
    Tanto Erundina quanto Collor perdeu as eleições municipais em São Paulo.

Verbo acompanhado da palavra SE

  1. SE = pronome apassivador: verbo concorda com o sujeito paciente.
    Ex.: Viam-se ao longe as primeiras casas.
    Ofereceu-se um grande prêmio ao vencedor da corrida.
  2. SE = índice de indeterminação do sujeito: verbo sempre na 3ª pessoa do singular.
    Ex.: Necessitava-se naqueles dias de novas idéias.
    Morria-se de tédio durante o inverno.

Verbos impessoais

São aqueles que não possuem sujeito, como os que indicam fenômenos. Portanto, ficarão sempre na 3ª pessoa do singular.

“Haver” no sentido de “existir”, indicando “tempo” ou no sentido de “ocorrer” ficará na terceira pessoa do singular. É impessoal, ou seja, não admite sujeito.

“Fazer” quando indica “tempo” ou “fenômenos da natureza”, também é impessoal e deverá ficar na terceira pessoa do singular.

Ex.:
Durante o inverno, nevava muito.
Vai para dez meses que tudo terminou.
Havia sérios problemas na cidade.
Fazia quinze anos que ele havia parado de estudar.
Deve haver sérios problemas na cidade.
Vai fazer quinze anos que ele parou de estudar.

Verbo SER

  1. Indicando tempo, distância: concorda com o predicativo.
    Ex.: Hoje é dia 3 de outubro, pois ontem foram 2 e o amanhã serão 4.
  2. Com sujeito que indica quantidade e predicativo que indica suficiência, excesso: concorda com o predicativo.
    Ex.: Vinte milhões era muito por aquela casa.
  3. Com sujeito e predicativo do sujeito: concorda com o que prevalecer.
    Ex.: O homem sempre foi suas idéias.
    A Pátria não é ninguém; somos todos nós.
  4. Se o sujeito do verbo ser ou parecer for constituído pelos pronomes: isto, isso, aquilo, tudo e o predicativo estiver no plural, o verbo irá para o plural:
    Ex.: Isto são ossos duros de roer.
    Aquilo pareciam-me bisbilhotices…
    Eram tudo falcatruas de profissional incompetente.
  5. Se o sujeito designar pessoa, o verbo concordará com ele:
    Ex.: Ela era as alegrias da casa.
    Jaime foi os terrores de seu bairro.
  6. Se o sujeito é constituído de um substantivo e o verbo ser vem seguido de pronome pessoal, o verbo concordará com o pronome:
    Ex.: Os funcionários mais aplicados somos nós.
    Os maiores diretores sois vós.
    Os verdadeiros profissionais são eles.
  7. Nas orações interrogativas com utilização de quem, o verbo concorda com o substantivo ou pronome que lhe segue:
    Ex.: Quem são os profissionais dessa organização?
    Quem és tu?
    Quem sós vós?

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

2 Responses to “Concordância Verbal”

  1. Welkson Renny disse:

    Seu blog é excelente! Parabéns.

    Abraços,

    Welkson Renny
    Natal/RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!