Como ter um time de TI de alto desempenho

image_pdfimage_print

Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, CIOs e outros empregadores de tecnologia precisam repensar sua práticas de recrutamento, treinamento e retenção de talentos.

Apesar do desemprego nos Estados Unidos estar acima de 8%, em TI esse porcentual está em menos de 4%. Essa taxa de desemprego para especialistas em áreas como rede, segurança e gerente de banco de dados é ainda menor. Mas, ao mesmo tempo, os profissionais de TI estão menos suscetíveis a trocas de emprego, dificultando o processo de escolha para preencher vagas em aberto. Diante deste desafio, como criar uma equipe de TI de alto desempenho?

Vamos focar primeiro na aquisição de talentos. Você deve colocar sua companhia de forma que as pessoas a considerem quando estiverem buscando por uma nova oportunidade. Na essência, você precisa partir para um modelo de recrutamento persistente. Se seu grupo abre uma posição apenas depois de alguém deixar a equipe ou quando um orçamento é aprovado, provavelmente, você não encontrará a mão de obra adequada no tempo necessário e também não estará no mercado quando o candidato ideal estiver buscando por um emprego.

Faça um pipeline de recrutamento. Ou seja, para posições comuns, aquelas que você sabe que precisará de alguém para os próximos 12 meses, monte um plano e tenha seu departamento de recursos humanos sempre em busca de gente com o perfil adequado. Bons exemplos são: especialistas em Java, desenvolvedores móveis, gerentes de projetos e engenheiro de rede. Recrute e entreviste pessoas constantemente essas posições e, se encontrar uma pessoa de tenha um alto nível de adequação, contrate, ainda que não tenha a posição em aberto.

Como você precisará daquele talento, contrate-lo e coloque-lo no próximo projeto mais apropriado. Você não apenas terá o talento mapeado como disponível para quando for necessário, mas você terá que desenvolver uma reputação para executar essa busca, dando à sua companhia uma área de conforto para quando um funcionário de alto nível, que raramente troca de emprego, decidir buscar uma nova oportunidade.

Outra tática essencial é expandir seu pipeline de recrutamento para funcionários e recém-graduados. Muitas companhias apenas olham para pessoas com mais experiência. Engenheiros mais novos podem, por exemplo, contribuir com muito mais que os gestores imaginam, especialmente, se sua empresa possuir programas bem estabelecidos de treinamento e educação.

Tem visto excelentes resultados quando times de pessoas talentosas, entusiasmadas e mentes brilhantes são combinados com engenheiros mais experientes. Todo mundo tem um bom desempenho. Eles trarão energia para sua empresa. E ainda que eles demorem alguns anos para se tornarem mais experientes e grandes líderes, eles estarão em sua companhia. Se não começar, você nunca os terá.

O investimento em treinamento e educação que você faz nos funcionários será revertido em mais produtividade, engajamento e retenção. Coloque para as pessoas as competências e capacidades para o atual cargo e para o próximo passo na carreira. Você precisa oferecer um programa de treinamento para que os funcionários, em especial os mais jovens, possam avançar. Em um mercado tão competitivo como o atual, a clareza na carreira e o investimento em treinamento ajudarão e muito sua empresa.

Você também pode usar como tática buscar talentos em outras localidades. Não se limite a uma ou duas áreas metropolitanas. Ao adicionar localidades, você pode até encontrar pessoas por um custo mais baixo.

Você também não pode se esquecer de revisar sua abordagem de recrutamento. Aplique melhorias baseadas em métricas. Em qual método você consegue o candidato ideal com mais frequência? De onde tem vindo seus melhores candidatos? Depois de analisar resultados de seleção por vários anos, entendi que a melhor forma de selecionar bons candidatos é referenciá-los e a pior é por empresas que buscam pessoas ou por anúncios. Com esse tipo de investimento, você poderá desenvolver e sustentar um time de alto desempenho, mesmo em mercados com poucos bons profissionais.

Fonte: Information Week

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!