Cinco dicas para CIOs protegerem os investimentos em TI

Com a crise atual nos Estados Unidos e Europa, muitos CIOs têm visto seus orçamentos reduzirem significativamente ou simplesmente serem congelados. Para driblar essa situação, especialistas dizem que é fundamental que os diretores de TI saibam como usar o dinheiro apertado em época de crise e proteger investimentos já realizados.

Analistas do Gartner listaram cinco recomendações para assegurar e garantir o investimento em tecnologia. Veja a abaixo.

1 – Faça diagnóstico dos desafios e mudanças urgentes
O custo de implantação de um novo projeto e as despesas operacionais em curso são, muitas vezes, tratadas separadamente. É essencial tirar conclusões claras para vincular os gastos do projeto e os custos operacionais.

Se o aumento nos custos de operação de novos projetos não for sustentável, há riscos de a TI ficar sem orçamento. As hipóteses de investimentos futuros ficam reduzidas, levando a uma espiral descendente.

2 – Planeje-se para evitar surpresas
Os custos ocultos podem ser mais perigosos do que os visíveis. Em muitas organizações é obrigatório prever os custos futuros de operação nos planos do projeto. No entanto, o otimismo é ainda generalizado quando se trata de planejamento. Na fase inicial dos novos projetos, muitos erram ao subestimar custos com suporte e custos e dependências de fornecedores exclusivos, sem levar em conta mudanças.

3 – Tenha visão única sobre ativos, serviços e despesas
Esta estratégia deve ser alcançada com eliminação de silos de informação. Um dos caminhos é ter gestores de serviços e de projeto trabalhando juntos na aprovação das iniciativas. Além disso, certifique-se de que as novas despesas operacionais são identificadas por meio de uma análise de custo total de propriedade.

4 – Identifique quando implantar plano de ativos abrangente
Novos projetos e serviços são vistos como muito valiosos para as organizações. No entanto, essa percepção pode ser reduzida em razão de a  manutenção e compra de novos ativos e serviços de TI exigirem investimentos. Muitos ativos de TI e serviços contêm dados sensíveis para os negócios que devem ser mantidos em conformidade com as regulamentações e normas legais. Se a decisão for substituir, atualizar ou remover esses bens ou serviços, isso pode implicar despesas inesperadas capazes de engolir o orçamento do departamento.

5 – Decida o que fazer e quando
“Fazer mais com menos” é uma utopia em épocas de crise. Os analistas preferem dizer: minimize os gastos com TI. Nesse sentido, o sucesso de um projeto pode ter o efeito de aumento da procura. Portanto, é tão importante administrar bem a procura por um serviço ou um bem quanto gerenciar o próprio projeto. Caso contrário, a eficiência e a poupança podem desaparecer e colocar em risco o financiamento para projetos futuros.

Fonte: IDG Now!

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Certificações que possuo: CompTIA Security+, EXIN EHF, MCSO, MCRM, ITIL v3. Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão e Governança de TI, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!