5 dicas para fazer o recrutador trabalhar por você

image_pdfimage_print

São Paulo – Não, ele não trabalha para você, mas pode mudar a sua vida com uma nova oportunidade de emprego. A função do headhunter é encontrar o candidato com perfil certo para uma vaga específica. Quem contrata os serviços do recrutador é a empresa, não o candidato em busca de uma nova posição no mercado de trabalho.

Partindo do princípio de que o recrutador está do outro lado da equação, fica mais fácil entender que, muitas vezes, ele não vai ajudá-lo. No entanto, alguns aspectos podem aumentar as chances de você ser lembrado quando uma oportunidade aparecer. Confira o que dizem os headhunters consultados por Exame.com

1 – Atualize o perfil no LinkedIn – Além de um currículo bem feito, um perfil atualizado com frequência na rede social é uma poderosa estratégia. “A gente tira muita informação de lá, principalmente de perfil de candidato”, diz Bruno Lourenço, consultor da Hays.

Paulo Mendes, sócio fundador da 2GET concorda, mas faz uma ressalva. “ Saiba que o headhunter pode encontrar outros 5 perfis iguais ao seu”, diz, lembrando que essa é apenas uma das ferramentas necessárias.

Portanto, não deixe escapar nada, desde uma mudança de emprego até uma nova especialização concluída para tentar se diferenciar. Vale lembrar que as postagens novas aparecem para todos os seus contatos. Por isso, manter-se ativo no LinkedIn é essencial para estar sempre em evidência.

2 – Tenha uma grande empresa no currículo – Quem participa de processos seletivos sabe: ter uma passagem por uma grande empresa é um chamariz. “Multinacionais são vitrines”, diz Lourenço. Na opinião dele, isso acontece porque, geralmente, os funcionários são submetidos a níveis de desafios muito elevados neste tipo de companhia.

Mas é a trajetória dentro da empresa que pode ser decisiva, na opinião de Mendes. “Tem que ter uma evolução”, explica. Ficar muito tempo na mesma função pode ser um tiro no pé, mesmo em uma grande empresa.

“Indica acomodação. Quando vejo um perfil de uma pessoa que está há 10 anos na mesma cadeira, deleto. Nem olho”, diz o especialista da 2GET. Quanto mais desafios a pessoa tem, mais chances de se adequar em uma nova posição, acreditam os especialistas.

3 – Seja proativo – Para Paulo Mendes, a grande dica é se adiantar. “Na hora que pintar um projeto bacana, tem você e mais um milhão de pessoas querendo falar com ele”, explica.Por isso, o ideal é construir um relacionamento com o recrutador quando não está precisando dele.

4 – Mantenha-se na mente do headhunter – O relacionamento deve ser constante. “A relação deve ir além da procura por emprego”, diz Lourenço. De acordo com ele, trata-se de uma via de duas mãos.

“Troco muita informação de mercado com as pessoas”, diz o headhunter. Ele conta que é comum receber ligações de pessoas que já ajudou a conseguir uma nova posição no mercado para conversar sobre temas não relacionados à procura de emprego.

O sócio fundador da 2GET concorda: “Mantenha o headhunter a par do que está fazendo, de novos projetos que vai participar”, recomenda.

Tenha em mente: pessoas que entram em contato frequentemente são lembradas com mais facilidade. Não importa o quão inesquecível você se considere. Quando surgir uma oportunidade, o recrutador vai pensar primeiro em quem está mais próximo.

Ajudar o headhunter também é uma dica. “Conta a favor. Aqui na 2GET, a gente até divide os honorários do projeto com pessoas que nos indicam profissionais que acabam sendo contratados”.

A vaga pode não ter o seu perfil, mas pode ser perfeita para um conhecido seu. Se der certo, as chances de o headhunter se lembrar de você aumentam bastante.

5 – Demonstre interesse – Candidatar-se a uma oportunidade por meio de um site de recrutamento é, sem dúvida, uma facilidade. Mas, o caminho mais fácil nem sempre é o que traz resultados imediatos.

“O candidato que preenche o cadastro pelo site, deve ligar para o recrutador para saber se aquela vaga tem mesmo o seu perfil”, recomenda Lourenço. Demonstrar que está interessado, com certeza, vai contar a seu favor.

Para ter mais chance de conseguir falar com o headhunter, se você ainda não o conhece, tente buscar alguém que faça esta ponte. “Isso encurta o caminho”, explica. Pode ser difícil que ele atenda você sem conhecê-lo. Mas se algum conhecido mútuo faz o meio de campo as chances de sucesso são bem maiores.

Fonte: INFO

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!