3 habilidades raras no mercado de TI

image_pdfimage_print

São Paulo – Com o mercado de tecnologia da informação aquecido, recrutadores estão perdendo o sono para encontrar profissionais. “Muita gente fala em apagão de talentos e no setor TI isso é bem claro”, diz Henrique Gamba, gerente da expertise de tecnologia da informação da Hays em São Paulo.

A maior dificuldade é preencher as vagas das empresas que não são de TI. “São as empresas que tem uma estrutura enxuta de TI, com profissionais para apoio interno”, explica ele.

Para se dar bem nesse setor, não basta ter um perfil técnico invejável. Segundo Gamba, a exigência das empresas já ultrapassa a barreira técnica. “Verificamos diferença de expectativa e falta de requisitos específicos, como domínio de inglês, nos profissionais acostumados a trabalhar para consultorias especializadas”, diz Gamba. 

De acordo com ele, são três as habilidades que estão mais em falta no mercado de tecnologia da informação voltado para as empresas fora do setor de TI, que buscam profissionais para apoio interno.

1 Negociação

As empresas procuram profissionais TI que estejam próximos de seus clientes que sugiram e negociem soluções. “Aquele profissional reativo, que fica sentado na mesa esperando o problema aparecer para resolver, está perdendo espaço”, diz Gamba.

A profissionalização das empresas, o aumento de fusões e aquisições dos últimos anos, a incorporação de novas tecnologias e, principalmente, o entendimento de TI como uma área estratégica do negócio estão levando inúmeras empresas a implementar novas ações e ampliar ou elevar a qualificação de suas áreas de tecnologia da informação. “As áreas de TI das empresas estão ficando cada vez mais maduras”, diz Gamba.

2 Comunicação

Se é preciso saber negociar, é certo que a capacidade de comunicação é também um fator importante para o profissional de TI que quer se destacar. “As empresas não querem o profissional de TI que fica fechado no seu mundo”.

Também nesse contexto, o domínio do inglês tem sido decisivo na contratação dos profissionais. “Essa é a parte mais difícil. O inglês é o que mais elimina candidatos nas etapas de seleção”, diz Gamba.

3 Visão de Negócio

Sai na frente o profissional com perfil dinâmico, que procura entender o negócio e o mercado no qual se insere. As empresas buscam pessoas capazes de utilizar o seu conhecimento técnico para alavancar o faturamento.

“É aquele cara que vai atrás e que tem uma visão estratégica de negócio que se preocupa com o que está acontecendo ao seu redor”, explica Gamba.

Fonte: Exame

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (Alagoas), especialista em Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação pela Univ. Gama Filho (UGF) e pós-graduando em Gestão da Segurança da Informação pela Univ. do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ficar atualizado?

Inscreva-se em minha newsletter e seja notificado quando eu publicar novos artigos de graça!